Vamos falar de

Brevemente novo artigo de opinião de Jorge Pulido Valente com o titulo: RUMO Á ECONOMIA CIRCULAR. O QUE É?

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Cláudio Torres escreve sobre Pulido Valente

Fala quem conhece

Carta do mestre a um discipulo fraco

Raizes no passado com os olhos na EDIA

O percurso de Jorge Pulido no Alentejo e concretamente em Mèrtola é um exemplo tristemente edificante das sinuosidades da política que o Partido Socialista tem aplicado no nosso país, concretamente no poder local.
Depois de uma vida universitária medíocre e tristonha, pendura-se num projecto arqueológico para lançar a sua carreira política colando-se ao Partido Comunista que na altura, detinha o poder na autarquia de Mèrtola. Depois da morte de Serrão Martins, propõe-se imediatamente para as listas da CDU onde se aproveita das suas qualificações universitárias para tentar humilhar o presidente Fernando Rosa, na esperança de o substitiuir. Apercebendo-se das dificuldades, salta para o PRD e depois para o Partido Socialista, com o qual consegue finalmente os seus objectivos. No meio de uma população carenciada e cansada de esperar pelos compromissos sempre adiados de Lisboa, o Jorge Pulido promete mundos e fundos, acena com projectos miríficos de Àguas Bravas e Centros Internacinais de Desporto, promete casas e empregos para todos, refere os seus amigos do PS para ajudas directas do governo.
Promessas que sabia não poder cumprir, que sabia impossíveis de realizar e das quais, nos últimos tempos, se começou a desinteressar porque já tinha cumprido os seus objectivos pessoais. Tinha sido aceite entre os “boys”, entre as pessoas importantes do PS e portanto estava apto a receber o cargo almejado. Quando percebeu que a derrota em Mértola seria inevitável, quando se deu conta de que tinha de saltar antes de serem conhecidos os resultados das próximas autárquicas , eis que o Jorge Pulido voa para a EDIA com a promessa de se candidatar a Beja. Felizmente que a população da capaital do Baixo Alentejo já o conhece de outras andanças e nunca gostou de “salta pocinhas”.
Infelizmente para as suas ambições desmedidas, os cargos de nomeação política também estão em saldo e quase sempre têm o chão muito escorregadio.

Texto de Cláudio Torres num Blog da CDU

sábado, 27 de junho de 2009

Legislativas e Autárquicas em dias diferentes










O Governo decidiu marcar a data das eleições Autárquicas para o próximo dia 11 de Outubro, data apontada por todos os partidos políticos que, nos termos da lei, foram consultados sobre esta matéria.

Marcadas as Autárquicas, 27 de Setembro foi o dia escolhido pelo Presidente da República, para a eleição da Assembleia da República, contrariando assim uma preferência do PSD que as queria no mesmo dia.


Campanha eleitoral para as Legislativas: entre 12 e 25 de Setembro

Campanha eleitoral para as Autárquicas: entre 28 de Setembro e 9 de Outubro


Em causa estarão as escolhas de 230 deputados e os órgãos municipais de 308 concelhos


quinta-feira, 25 de junho de 2009

Náutico no Diário do Alentejo

Clube Náutico de Mértola­ – um oásis na planicíe

“O clube é pedra fundamental no concelho ”

Mértola é uma vila que mora paredes-meias com o Grande Rio do Sul: o Guadiana. As suas águas, há muito utilizadas para as lides piscatórias, apresentam-se, também, como cenário propício para a prática desportiva. O Clube Náutico é a agremiação que mexe com uma modalidade, a canoagem, que tem conduzido a Vila Museu, e a região, a altos voos nacionais e internacionais.

Carlos Viegas, presidente do Clube Náutico de Mértola, é um dirigente com uma dedicação inolvidável a uma modalidade à qual se entregou de alma e coração: a canoagem. A sua percepção levou-o a tomar as rédeas de um clube que cresceu de forma imparável, fazendo da agremiação uma bandeira nacional.
Em Mértola têm nascido verdadeiros campeões. Hoje, o Náutico é um clube com instalações próprias, a população aprecia os êxitos dos seus atletas e a canoagem é uma das modalidades preferidas na vila. Tanto mais que homens dos mais diversificados lugares do globo, principalmente do Leste da Europa, têm acorrido a Mértola para estágios de alta competição. Para congregar a aventura, as instalações do Clube Náutico proporcionam óptimas condições físicas para os atletas de nível mundial com os quais os jovens da terra têm aprendido muito.Vamos conhecer a actual realidade do Clube Náutico de Mértola com Carlos Viegas.


[P]: Qual ponto da situação do Náutico?
[R]: O clube tem, actualmente, uma face visível, que é a canoagem, quer em termos de público quer por parte da Comunicação Social. No entanto, toda a estrutura assenta em princípios que superam a actividade desportiva. O Náutico tem cursos de formação profissional, o que lhe permite ter um conjunto significativo de pessoas a aprender na área desportiva e no turismo. São programas ocupacionais do potencial humano e são esses cursos que vêm dar outro impulso à actividade do clube. Há também um conjunto de outras actividades desportivas, mas não competitivas, nomeadamente a natação, ginástica para adultos, etc, as quais estão sob a nossa tutela. Somos responsáveis por parte significativa dos enriquecimentos curriculares dados pelo grupo de escolas de Mértola. Temos contratados um conjunto de professores de educação física, inglês e música, entre outros, o que nos permite chegar às crianças na própria escola. No fundo, este é o lado visível do Náutico de Mértola, uma vez que os nossos técnicos estão simultaneamente integrados em todas as actividades.

[P]: O clube tem crescido?
[R]: Muito, em termos económicos e desportivos. O clube é hoje uma pedra fundamental no concelho. Temos um orçamento anual que, globalmente, ultrapassa os 750 mil euros e cerca de 60 pessoas que trabalham, directa e indirectamente, para a estrutura do clube.

[P]: O que se passa no campo desportivo?
[R]: Na competição estamos a ter forte crescimento, fruto de um trabalho de qualidade que atingimos principalmente neste último no ano. Em termos nacionais temos atletas de grande nível e um deles está na selecção nacional de cadetes, e é já uma das grandes esperanças da canoagem portuguesa. Trata-se do Manuel Macias que, em conjunto com outro atleta do clube, o Gonçalo Ferreira, é em tripulações K2 e em K1, actualmente imbatível.
Com os resultados obtidos, estes atletas têm trazido para o Náutico a entrada de praticantes mais novos. Neste momento temos três grupos de intervenção, chamemos-lhe assim. Um grupo de primeira linha, que participa em todas as provas de campeonatos nacionais e anda à volta de 20 atletas; outro grupo de mais 20 atletas que está em fase de iniciação, isto é, de crescimento e aprendizagem; e um terceiro grupo de jovens que vão pontualmente ao clube para actividades desportivas.
Feitas as contas poderei avançar com cerca de 50 atletas a promoverem a canoagem em Mértola. Os resultados têm sido bons?Sim. No último campeonato nacional de maratonas, que decorreu recentemente em Coimbra, ficámos em 6º lugar entre 50 clubes. É um resultado espectacular. Não tínhamos a percepção do nosso real valor. Sabíamos que poderíamos ficar nos primeiros 10, porém o 6º foi uma surpresa. Em 21 grupos de pontuação só pontuámos em nove. Este crescimento deixa antever que na próxima época podemos situar-nos nos três ou quatro grupos de pontuação nas categorias onde não pontuámos e estarmos em condições de lutar pelos primeiros lugares colectivos, coisa que no início da época o clube não sonhava. Trabalhávamos individualmente sem nos preocuparmos com o colectivo. Claro que tudo isto é um prémio para todo este trabalho que desenvolvemos.

[P]: Têm bons técnicos?
[R]: Evidentemente que sim. O efeito do trabalho da equipa técnica tem sido preponderante. É acompanhada à distância por Carlos Machado, um homem que trabalha em Coimbra, e um treinador húngaro, a tempo inteiro, que é atleta da selecção da Hungria, para além de um monitor. Eles formam uma equipa que tem consolidado este processo do trabalho técnico. Era o que nós precisávamos, técnicos que estivessem permanentemente na água para acompanhar os atletas. E os resultados, dos cadetes em particular, começaram a aparecer.

[P]:Que embarcações utilizam?
[R]:Há dois tipos de embarcações: a canoa e o kayak. A canoa tem menos visibilidade nacional.Estamos a trabalhar com um grupo de atletas nesse tipo de embarcação, que na próxima época poderá apresentar-se como a maior equipa a nível nacional.

[P]:O Náutico tem tido sempre atletas de nome nacional e internacional?
[R]:É verdade. Alguns regressaram e já se treinam com assiduidade. Marco Quintos, por exemplo, foi um nome grande da canoagem portuguesa, e de Mértola. Regressou, e muito embora seja já um veterano, tem participado como sénior, sendo um atleta que possui ainda condições para regressar às medalhas. Aliás, o regresso de atletas que marcaram presença no Clube Náutico irá consolidar todo o trabalho que temos vindo a efectuar.

[P]: O clube tem boas instalações?
[R]: As nossas instalações já têm 10 anos. A nível nacional, Prado e Costuma são as mais recentes. Todavia, as instalações do Clube Náutico de Mértola continuam a ser referência a nível nacional e internacional. Basta analisarmos as solicitações que sistematicamente nos chegam. Temos alguns acórdãos em carteira que vamos consolidar com clubes da Hungria, mercê do nosso treinador, que vão permitir que os nossos melhores oito atletas vão à Hungria participar num estágio e numa prova em representação do nosso clube.
19/06/2009

Texto José Saúde Foto José Serrano

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Hoje é dia de S. João! Como tudo está mudado...

Já lá vão uns anitos mas ainda me recordo perfeitamente do dia de S. João de mil novecentos e sessenta e picos. Recordo por exemplo que, estando a máquina debulhadora fixada na eira e pronta para a debulha daquele ano, onde iria permanecer pelo menos uns oito dias, lutando contra a força braçal de dez a quinze homens, ao calor abrasador e ao rong-rong do “tractor” que não lhe dava descanso, o meu pai me ter chamado de parte e, sem grandes rodeios me dizer:

-Olha lá rapaz, como sabes, a máquina debulhadora amanhã, mesmo sendo dia de S. João, ao nascer do Sol, não vai deixar de deitar palha para o chão, como tal, alguém terá que a apanhar com o rodo puxado pela parelha de mulas, como habitualmente.

A estas palavras sentenciosas de meu pai, não obstante haver baile na aldeia, até ao nascer do Sol, ao qual eu não podia faltar, respondi com toda a franqueza e convicção:

-Pai, não se preocupe que, a essa hora, ali estarei, debaixo dela, para retirar toda a palha que possa produzir.

E assim foi, ao nascer do Sol, ali estava eu, “atascado” em palha até aos olhos, mas a cumprir uma missão que era destinada aos “moços” mais novos daquele tempo.


terça-feira, 23 de junho de 2009

Editorial da Revista Cultos

Mértola nasceu para o desenvolvimento nos finais de 2001, quando Pulido Valente e a sua equipa venceram as eleições. Até então, apesar do poder político vigente não ter hipotecado o futuro da autarquia, nomeadamente em termos económicos, o que é certo é que grassava uma falta de ideias e de estratégia gritantes que contribuíram para a estagnação de um concelho cujas potencialidades são imensas. Foi essa percepção, foi a partir dessa ideia, dessas potencialidades, que Pulido Valente elaborou um programa eleitoral cirúrgico, objectivo e estrategicamente bem definido, que o conduziriam à presidência da câmara, como, aliás, já era de todos espectável.

Dois mandatos depois, Mértola é um concelho literalmente diferente, para melhor. As apostas feitas nas áreas do social, no desporto, no comércio local, na promoção e valorização dos produtos endógenos do concelho, na área da cultura, do turismo, enfim, sem querer ser exaustivo, até porque, nem necessito sê-lo, tal é a evidência do trabalho desenvolvido pelo actual executivo da Câmara de Mértola, a autarquia imprimiu novas e envolventes dinâmicas que concorreram para o fortalecimento da ideia de que o concelho de Mértola pode, como se afirmou, consolidar-se de forma sustentada e homogénea, onde os seus cidadãos, dos mais novos aos mais idosos, dos mais ricos aos mais pobres, podem viver com padrões de qualidade e dignidade muito interessantes, fruto do trabalho edificado pelo Poder Local. O futuro reserva a Mértola um lugar importante no mapa estratégico da região, porque se soube posicionar de forma bem colocada, veja-se a aposta feita nas acessibilidades, (Mértola está ligada ao país e a Espanha de forma absolutamente privilegiada), destacando-se neste capítulo a Ponte do Pomarão que para isso muito contribuiu.

Depois da Era Jorge Pulido Valente, a autarquia tem agora como o seu principal rosto o jovem Jorge Rosa. É um político que ama o seu concelho. Que tem visão estratégica e ideias claras para Mértola. É alguém com quem simpatizo e admiro. É um “terra a terra” com os pés bem assentes em Mértola. É inteligente e perspicaz. Fez-se um bom político. Posto isto, se eu residisse em Mértola votaria convicta e, orgulhosamente, em Jorge Rosa e na sua equipa. Mais, se Jorge Rosa precisasse de um voto para vencer as eleições, não teria qualquer problema em recensear-me em Mértola, para votar nele, tal é o grau de confiança que em si deposito.

In
Revista Cultos
Por Rui Rosa

segunda-feira, 22 de junho de 2009

António Sequeira, um fotógrafo poeta


Ande lá por onde andar

Nada vejo de mais belo

Do que o nosso guadiana

A mesquita e o castelo...



António Sequeira, o poeta, iniciou assim o seu agradecimento aos presentes na breve cerimónia de inauguração da sua exposição “Notícias e Imagens de Mértola", na Casa das Artes Mário Elias, já a torre do relógio tinha dadas as 18 horas.


Visivelmente emocionado, voz trémula, o homem que há mais de meio século continua a captar com persistência imagens da Vila (que sempre trouxe no coração) e das suas gentes, viu a casa encher-se : de velhos e novos amigos, de muita gente jovem que admira o seu trabalho e também de alguns familiares mais próximos. Foi muito agradável lá estar e bonito de se ver.


Mais tarde, o tinto partilhado a uma mesa e as postinhas de peixe frito do rio a acompanhar, acrescentaram ao ambiente a naturalidade que estes momentos (solenes) raramente têm.


Quem quiser perceber melhor os encantos de Mértola dê um salto à Casa das Artes ali na Rua 25 de Abril. Vai ver que vale a pena.

Fica aqui o desafio...


... e também o meu abraço ao António Mendes Sequeira.


quarta-feira, 17 de junho de 2009

Biblioteca Municipal promove concurso de conto e poesia

A Biblioteca Municipal de Mértola está a promover um concurso de conto e poesia, com o objectivo de contribuir para a criação e consolidação dos hábitos de escrita e de leitura, estimular a escrita criativa e conhecer e divulgar autores da região.

Os autores podem escolher a temática, sendo que todos os trabalhos em prosa ou poesia devem ser inéditos, no máximo três textos por concorrente e sob pseudónimo.

Podem participar no concurso todos os naturais e residentes do distrito de Beja e concelho de Alcoutim, maiores de 18 anos. Os textos deverão ser entregues em mão na Biblioteca Municipal ou enviados por correio até dia 31 de Julho.

A apreciação dos trabalhos terá em conta a criatividade/inovação, a qualidade literária, a organização, a coerência e coesão do texto. Os primeiros classificados recebem 300 euros.

Consulte o Regulamento do concurso aqui.

In
Site da C.M.Mértola

Câmara inaugura Ninho de Empresas


A Câmara Municipal de Mértola inaugura no próximo dia 23 de Junho, às 18h30, o edifício Casa Vargas que irá receber o Ninho de Empresas e o Gabinete de Atendimento ao Munícipe, um espaço totalmente remodelado para as suas novas valências.
No rés-do-chão do edifício, situado no Largo Vasco da Gama, serão instalados o Gabinete de Atendimento ao Munícipe, a funcionar actualmente na Rua Dr. Afonso Costa, e a Loja da Terra, um local de venda dos produtos tradicionais de Mértola.No andar superior será instalado o Ninho de Empresas preparado para receber sete novas empresas.


Regulamento do Ninho de Empresas Clique AQUI.

in
Site da C.M.Mértola

sábado, 13 de junho de 2009

10 de Junho em Santarém há 3 dias ...

"Nunca me engano e raramente tenho dúvidas !"


Tenho a certeza absoluta de que recentemente o actual Presidente da República não terá dito isto; e muitas dúvidas de que o tenha afirmado em tempos o candidato Sr. Silva, essa execrável figura que Jardim zurziu com exuberância.


Já não sei se me engano se jurar a pés juntos que não terá sido Cavaco Silva a proclamar tal sentença há uns anos era ele então nosso Primeiro.


O que sei e não tenho dúvidas é que nem ele Cavaco nem tantos outros teriam chegado às escadas de São Bento ou a Belém se Salgueiro Maia não tivesse assegurado a rendição de Marcelo Caetano entretanto.

Pormenor que pelos vistos não é lá grande coisa “nisso” que foi o 25 de Abril.


Este ano, com a generalidade dos portugueses saboreando umas mini férias junto à água, o 10 de Junho foi comemorado em Santarém onde de resto constitui uma quase impossibilidade não encalhar no monumento a Salgueiro Maia.


Aqui e aqui fica-se com uma ideia.

terça-feira, 9 de junho de 2009

Festas da Vila de Mértola 2009

As tradicionais Festas da Vila de Mértola têm este ano como cabeças de cartaz Rui Veloso e Emanuel, cujos espectáculos terão lugar no cais do Guadiana. A partir de 14 de Junho e até final do mês decorrem outras actividades culturais na vila.

Dia 19, às 22h30, o Castelo de Mértola recebe os fados rock de Zé perdigão, seguindo-se uma Dance Party com Dj’s locais. No dia seguinte, sábado, as atenções centram-se no cais do Guadiana, com a actuação de Rui Veloso às 23h00. A noite de festa prossegue com o conjunto Século XXI. O dia 21 é dedicado aos artistas locais e actuação de grupos corais.
Não vão faltar a sardinha assada e as febras na brasa, oferta da Autarquia.

A Casa das Artes Mário Elias inaugura dia 22 às 18h00 a exposição de António Sequeira “Notícias e Imagens de Mértola” e o Cine-teatro Marque Duque recebe neste dia, às 21h30, o espectáculo “Diz que dançam” da Dansul.

Terça-feira, véspera de S. João e feriado municipal, o cais do Guadiana é palco do espectáculo com o popular artista Emanuel, a que se segue um baile abrilhantado por João Paulo Cavaco.

Veja aqui todo o programa

In Site da
Câmara Municipal de Mértola

Without - No Musical da Mina de S.Domingos





Com organização da ACEA – Associação Cultural Erica andevalensis e colaboração da Câmara Municipal de Mértola, vai ter lugar no Musical, Mina de S. Domingos, entre 10 de Junho e 9 de Julho, a exposição de fotografia “without” de Jorge Branco.

A inauguração terá lugar pelas 18.00 horas do dia 10 de Junho e estará patente ao público aos sábados domingos e feriados das 15.00h às 18.00h.
Durante a semana pode ser visitada por marcação para o tlm - 918617127.

domingo, 7 de junho de 2009

PCP-PEV vence Europeias em Mértola



Total de Inscritos: ----------------7561
Total de Votantes: ----- 39,25%-- 2968

Partidos --------------------Resultados

PCP-PEV --------------42.42%---1259
PS ---------------------30.56%--- 907
PPD/PSD --------------- 7.41%--- 220
B.E. --------------------- 6.50%---193
CDS-PP------------------2.80%--- 83
PCTP/MRPP------------ 2.59%--- 77
MEP---------------------0.54%----16
PPM ---------------------0.40%---12
MPT ---------------------0.34%---10
POUS-------------------- 0.34%---10
P.H. ----------------------0.27%--- 8
MMS---------------------0.24%--- 7
P.N.R.--------------------0.1o% ---3

Brancos------------------ 3.1o%--- 92
Nulos---------------------2.39%--- 71

Europeias 2009

Os resultados destas eleições europeias obrigarão os responsáveis políticos a pensar na importância da abstenção, a rondar os 65%. Afinal foi ela e só ela quem ganhou. Há que fazer uma análise profunda que clarifique as motivações, ou falta delas, no momento do voto.

Importa salientar que nenhum partido discutiu com clareza e profundidade a questão do Tratado de Lisboa, com especial atenção para aqueles que eram assumidamente contra e para aqueles que mesmo sendo a favor exigiram o referendo.
.

Náutico de Mértola em 6º no Campeonato Nacional de Maratonas




Hoje o Clube Náutico de Mértola subiu para 6º lugar na classificação colectiva do Campeonato Nacional de Maratonas.
Uma das melhores classificações de sempre!

Este resultado é fruto das extraordinárias classificações de Manuel Macias e Gonçalo Ferreira que venceram o K2 Cadetes; de Bruno Vitória e Tiago Neves que venceram a C2 Juniores; de João Brito e João Palma 14ºs classificados no K2 Cadetes e ainda de Nelson Lopes e Bruno Afonso que chegaram em 6º Lugar na C2 Cadetes.

sábado, 6 de junho de 2009

Campeonato Nacional de Maratonas - Gonçalo Ferreira Bronze em K1 Cadetes






Gonçalo Ferreira conquistou a medalha de bronze em K1 Cadetes no Campeonato Nacional de Maratonas que teve hoje início em Coimbra.


Todos os resultados da etapa:


K1 Cadetes
Gonçalo Ferreira 3º Lugar
Manuel Macias 13º Lugar
João Brito 20º Lugar
João Palma 42º Lugar


Cadetes Femininos
Inês Branco 15º Lugar

C1 Cadetes
Nelson Lopes 5º Lugar
Bruno Afonso 9º Lugar

C1 Junior
Bruno Vitória 4º Lugar
Rafael Luz 7º Lugar

K1 Séniores
Tamas Homoki 10º Lugar

Colectivamente o Clube está até ao momento em 8º lugar.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Sala B - Blog do Jardim de Infância de Mértola



Aqui está a melhor concorrência que este Blog poderia enfrentar. A concorrência do Jardim de Infância de Mértola. Assim podemos estar descansados que o futuro está assegurado, assegurado e com muita qualidade.
Visitem que vale a pena, basta clicar na imagem ou seguir a ligação na nossa barra lateral ou este endereço.
.
http://jimertolasalab.blogspot.com/ .

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Câmara promove Agir para a Juventude






A Câmara Municipal de Mértola promove no sábado, 6 de Junho, às 15h00, no Cine-teatro Marques Duque, o segundo encontro temático "Agir Para" dedicado à Juventude.

Estes encontros são uma iniciativa municipal e visam lançar o debate e colher opiniões junto dos principais interessados.
Temas entretanto já abordados no 1º encontro: Turismo e Comércio Local.

Um novo visual, o mesmo ideal.







Com esta imagem terminamos um ciclo iniciado em finais de 2005. Já lá vai um tempo.
Aqui chegados, esperamos que o novo visual o(a) surpreenda pela positiva e seja do seu agrado.
A área de comentários está diferente e para melhor no que toca à leitura. Será ainda necessária uma ou outra afinação. Ficamos a aguardar a sua opinião.
.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Eixo Comercial - inauguração




A Câmara Municipal de Mértola inaugura no próximo dia 6 de Junho as obras do eixo comercial da Vila, uma acção estruturante para a modernização dos sistemas de água, drenagem de esgotos e electricidade. Esta obra melhorou também a circulação rodoviária e pedonal, permitindo que carros e peões circulem em segurança.
A festa de inauguração da principal artéria de Mértola incluiu várias actividades de animação de rua e música que começam às 11 da manhã, com a participação de Concertinas do Vale do Tejo, Companhia Marimbondo, Banda Filarmónica e Grupo Coral Guadiana de Mértola. A cerimónia oficial decorre às 17h30 em frente ao Cine-Teatro Marques Duque.
.

O ódio político (também) cega!

O projecto de Cláudio Torres para Mértola sempre foi assumido pelo próprio como “agitprop” (sic) mais do que uma intervenção de carácter exclusivamente científico. No entanto, nunca se assumiu plenamente como projecto político de modo a poder ser sufragado pelo povo de Mértola em eleições livres e democráticas.

Paralelamente à componente científica e patrimonial de valor e reconhecimento incontestáveis sob a responsabilidade do Campo Arqueológico de Mértola, foi sendo concretizada a vertente política, ideológica e partidária através da instrumentalização, para esse efeito, da gestão municipal atribuída em eleições sucessivas durante mais de 20 anos ao PCP/CDU.

Em 2001 a população de Mértola, em eleições livres, ao recusar a continuidade do projecto do PCP/CDU, apoiado pública e empenhadamente por Cláudio Torres, manifestou-se claramente contra a componente da sua proposta política e ideológica, sem contudo deixar de reconhecer e apoiar a vertente científica e patrimonial da mesma, a qual foi assumida em todos os programas eleitorais das forças concorrentes, nomeadamente da vencedora, isto é, o PS que eu representei enquanto cabeça de lista primeiro e presidente da Câmara depois.

E é aqui que está o cerne do problema! Cláudio Torres não querendo ir abertamente a jogo com o seu projecto político pessoal (Independente? PCP? Bloco de Esquerda? Guterrista/Sampaísta?) e perdendo o seu “braço armado” que era o executivo camarário PCP, ficou sem instrumentos para concretizar a sua proposta político-ideológica, para além do que lhe é proporcionado pelo Campo Arqueológico de Mértola. Foi este, recentemente, o caso quando utilizou abusivamente o Campo Arqueológico para promover o candidato do Bloco de Esquerda às eleições europeias, o que lhe mereceu uma crítica mordaz e uma demarcação clarificadora do seu colaborador mais directo.

Por tudo isto, facilmente se perceberá a visível e manifesta perturbação de Cláudio Torres relativamente à minha pessoa, ao trabalho significativo que a equipa que tive o prazer de coordenar realizou ao longo dos últimos 7 anos (reconhecido, nas urnas, pela população de Mértola) e ao meu percurso político.

O que já não se compreende e muito menos se aceita é que uma pessoa com o estatuto de figura pública como Cláudio Torres recorra, cego pelo ódio político, à mentira e calúnia pessoal para denegrir e atacar sem fundamento, não as ideias do seu adversário mas a própria pessoa e o trabalho por ela realizado de forma empenhada e reconhecida.

Na Faculdade de Letras, onde foi meu professor, Cláudio Torres ensinou-me, entre outras coisas, que os ídolos têm pés de barro. Cláudio Torres foi durante muitos anos o meu ídolo…

GNR apreende artes de pesca ilegal no Guadiana


A GNR apreendeu 17 artes ilegais de pesca e devolveu à água cerca de 20 quilogramas de enguias e oito quilogramas de peixe diverso, numa operação no rio Guadiana, perto de Mértola, disse hoje fonte policial.

Durante a operação de combate à pesca ilegal no Guadiana, que decorreu no fim-de-semana, a GNR detectou várias infracções à lei da pesca e elaborou os respectivos autos de contra-ordenação, acrescentou o oficial de relações públicas do Comando Territorial de Beja da GNR, major José Candeias.

A operação envolveu elementos do Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) do Destacamento Territorial de Almodôvar da GNR e da Equipa de Vigilantes de Mértola do Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB).


In
Lusa/SOL

Em Mértola preservou-se o passado mas teme-se o futuro

O arqueólogo Cláudio Torres, fundador e director do Campo Arqueológico de Mértola (CAM), diz que a "cumplicidade e a interajuda" que existiam com o município alentejano para desenvolver um projecto cultural está a passar por um mau bocado e pode acabar. A autarquia, admite o arqueólogo, "substituiu a colaboração pela hostilização", ameaçando um trabalho lançado há três décadas. O CAM foi forçado a transformar-se em empresa para poder disputar com outras firmas especializadas a prospecção e investigação arqueológica no concelho de Mértola, onde desenvolveu um projecto de reconhecido mérito. O mal-estar entre a autarquia e o CAM acentuou-se nos últimos anos. A desconfiança surgiu quando Jorge Pulido Valente foi eleito presidente da câmara, em 2001, numa lista do PS. Na altura, o arqueólogo advertiu para os riscos que o projecto poderia correr com a nova liderança municipal. Pulido Valente comprometeu-se, então, a manter a essência da colaboração que vinha da anterior gestão da CDU, alegando, no entanto, que teria de haver mais rigor na gestão dos dinheiros públicos.

Apesar desta garantia, Cláudio Torres assume que o projecto "começou a ser abandonado" logo que o autarca assumiu funções. O visado, que renunciou ao cargo há seis meses, para fazer parte da administração da Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas de Alqueva e assumir a candidatura à Câmara de Beja, contrapõe que o projecto "não só não foi abandonado como foi reforçado". Em relação ao projecto político - "mas não partidário" - assumido pelo arqueólogo, Pulido Valente argumenta: "Foi o nosso [projecto] que a população escolheu e não o da CDU, que Cláudio Torres empenhadamente defendeu.

"O director do CAM salienta que a eleição do autarca socialista representa "uma escolha que derivou de uma votação que logicamente tinha de ser aceite". No entanto, explica: "Da parte da câmara é que surgiram ordens para não usarmos o nosso símbolo do campo arqueológico nos painéis, na sinalética, e nas publicações, sempre que a câmara participa nos eventos ou realizações."Escavações travadas".

Obrigaram-nos a tirar o símbolo do Campo Arqueológico de Mértola que existe há 30 anos", queixa-se o arqueólogo. Pulido Valente nega esta acusação, frisando que a câmara "não dá ordens ao CAM". Cláudio Torres garante que houve "um corte completo" entre a autarquia e o CAM. E acrescenta que as consequências "vieram a agravar-se progressivamente", até aos dias de hoje, acusando Pulido Valente de abandonar Mértola para "ocupar outro pedestal com objectivos meramente pessoais".

"Pulido Valente aproveitou-se do trabalho que realizámos ao longo de 30 anos para o apresentar agora como sendo trabalho seu", acusa Cláudio Torres. O ex-autarca não comenta esta declaração por a considerar "descabida".

Seja como for, quem se desloque a Mértola nota que já não há jovens a trabalhar nas escavações. "Tudo isso acabou", lamenta o arqueólogo, que recebeu o Prémio Pessoa, em 1991, pelo trabalho que até então tinha desenvolvido na vila alentejana. "As escavações foram travadas", prossegue o investigador, esclarecendo que só foi possível concretizar o arranjo da alcáçova do castelo de Mértola, para a tornar visitável, porque era um projecto antigo.

"Estamos a viver com enormes dificuldades com base no trabalho na área formativa para sobreviver", informa Cláudio Torres, referindo que a única tarefa que ainda vai sendo feita se limita ao levantamento e interpretação dos vestígios arqueológicos que surgem num qualquer buraco que é aberto na zona histórica da vila.

Colocado perante os novos desafios que se apresentam à continuidade do campo arqueológico, decorridos 30 anos, o arqueólogo acredita que apesar das dificuldades o CAM "vai sobreviver à custa de um prestígio que vem de trás": "O prestígio do nosso trabalho."
In
Público
1 de Junho de 2009
Carlos Dias