quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Sampaio da Nóvoa a Presidente

É com grande orgulho que sou representante do Professor Sampaio da Nóvoa no Concelho de Mértola e apelo ao voto na sua candidatura a Presidente da República.


sexta-feira, 6 de março de 2015

Um novo filão na Mina...


A Tapada Grande da Mina de São Domingos, no concelho de Mértola, foi o palco para um estágio da seleção nacional de paracanoagem, que se prepara para os Campeonatos da Europa e do Mundo, com os olhos postos no Rio 2016. 



Há cerca de uma década que a paracanoagem é uma realidade em Portugal, não só na vertente recreativa, mas também na área da reabilitação e a nível competitivo, com o intuito de pôr a competir pessoas que têm mobilidade reduzida”. A afirmação é de Ivo Quendera, 34 anos, técnico da Federação Portuguesa de Canoagem, licenciado em Ciências do Desporto, com uma forte especialização em desporto para pessoas portadoras de deficiência. 
O treinador nacional revelou: “A federação aposta na área competitiva desde 2009, tivemos dois atletas integrados no primeiro campeonato do mundo, no Canadá, e ambos participaram em finais e, desde aí, a federação desenvolveu um programa com uma equipa nacional. Em 2010 voltámos a estar presentes em campeonatos e a última vez que tivemos uma presença forte foi em 2013, quando o Norberto Mourão conseguiu o 5.º lugar no Europeu e o 9.º no Mundial”. Com a integração da canoagem no programa paraolímpico, e tendo no horizonte o Rio 2016, “abriram-se as portas para que a federação criasse esta equipa de trabalho que está aqui na Mina de São Domingos, num plano de água formidável para a prática desta modalidade”, sublinhou.
O objetivo é evidente. Selecionar os que estiverem melhor, esperando que consigam competir no Europeu, que se realizará na República Checa (maio), e trabalhar arduamente para o Mundial, em Milão (agosto), com a intenção de conseguir-se um apuramento paraolímpico para o Rio 2016, perspetivando-se que, pelo menos, uma das embarcações consiga esse apuramento para representar Portugal.
O treinador assume essa ambição dizendo: “A paracanoagem foi algo em que eu quis agarrar e o trabalho que o Norberto Mourão tem feito, a garra que ele mostrou e toda esta equipa de trabalho que aqui está, têm-me dado uma confiança extrema de Portugal ambicionar uma medalha em competições internacionais e marcar presença em finais paraolímpicas, porque é esse o sonho de qualquer treinador e de qualquer atleta”. 
Quendera sabe que o estágio decorreu numa terra cheia de história e de simbolismo, que no século passado foi uma importante alavanca no desenvolvimento regional, só não sabe se isso será talismã para a seleção.“Acredito nas raízes que o nosso povo tem. Costumamos dizer que Portugal é um país à beira mar plantado, mas um professor meu dizia que somos um país sobrevivendo à beira terra, porque olhamos para o nosso país, para este conjunto de quilómetros de areia, de terra e de pedra e, por vezes, estamos de costas viradas para o mar”. E lembrou: “Temos uma cultura náutica muito grande, que se tem perdido pouco a pouco. Sei que a Mina de São Domingos tem uma tremenda história, que foi um alicerce do desenvolvimento da região. A potencialização desta tapada pode trazer um acréscimo económico a toda a região, e veja que durante estes dias esteve aqui a treinar a seleção da Polónia na área da paracanoagem e um atleta porto-riquenho (Eddie Montañez) que também tem treinado connosco”. 
Mas Ivo Quendera não sobrevaloriza o fator integrador da canoagem por considerar que a modalidade, como qualquer outra atividade, deve ser acessível a todas as pessoas. Prefere isso, sim, a afirmação de que “a canoagem é um catalisador e potenciador de sensações e estímulos sensoriais que ultrapassa muitas das modalidades que as pessoas com deficiência praticam”. E sublinhou: “A modalidade tem traduzido melhorias exponenciais na vida dos praticantes e lembro que a primeira atleta portuguesa a participar num campeonato do mundo, a Carla Ferreira, tinha paralisia cerebral, e teve um acréscimo na sua qualidade de vida devido à prática de canoagem e isso enche-me de orgulho”. 

Texto e fotos Firmino Paixão

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Mina de São Domingos recebe estágio de Paracanoagem

A Federação Portuguesa de Canoagem, através do técnico Nacional de Paracanoagem Ivo Quendera, promove entre os dias 25 de Fevereiro e 1 de março mais um estágio da Seleção nacional de Paracanoagem com vista ao apuramento Olímpico para o Rio 2016.
Este estágio realiza-se na mina de S. Domingos em Mértola, palco de competições Nacionais no passado recente da modalidade e que se encontra neste momento a montar a segunda pista de velocidade do País.
Foram convocados para este momento de preparação um total de 4 atletas, com destaque para Norberto Mourão, que ja representou as cores nacionais em eventos Internacionais em 2013 e Abraão Vieira em 2009.
Atletas convocados
Abraão Vieira - CN Crestuma
Francisco José - CDO Patos
Norberto Mourão - SCPortugal
Paulo Santos - SCPortugal
A este estágio vão juntar-se o atleta de Porto Rico Eddie Montanez que ja se encontra em Mértola a estagiar e 4 atletas polacos com o seu técnico. A equipa técnica do Clube Náutico de Mértola junta-se a estes trabalhos com os jovens treinadores Rafael Luz  e Luis Godinho.

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Obras da Pista de Canoagem da Mina de São Domingos


Prosseguem a bom ritmo as obras de instalação da Pista de Canoagem e Remo da Mina de São Domingos com a colocação das estruturas de suporte do sistema de cabos e boias.

Jorge Pulido Valente vai ser vice-presidente da CCDR Alentejo


O antigo presidente da Câmara Municipal de Beja, Jorge Pulido Valente, vai assumir funções como vice-presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo a partir de 1 de Março.

Na sequência do concurso público realizado para estas funções, cujo primeiro classificado foi António Dieb (actual líder da CCDR), Jorge Pulido Valente ficou em segundo lugar e foi agora designado para o cargo por um período de cinco anos.

Presidente da Câmara de Beja entre 2009 e 2013, Pulido Valente foi também líder da Câmara de Mértola entre 2001 e 2008. Antes disso foi director regional do Ambiente e do Ordenamento do Território do Alentejo.

in

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Workshop de Cestaria em Cana na Casa Visconde de Bouzões

Inscrições: 10,00€ com direito a um cesto.
Almoço: 8,00€ - Opcional

Os participantes inscritos que marquem alojamento terão um desconto correspondente ao valor da Inscrição, caso a reserva seja feita diretamente para: casa.visconde.b@gmail.com.
(Esta oferta não se aplica ao Quarto Low Cost.)

Informações e Inscrições:
casa.visconde.b@gmail.com
965351979 - Carlos Viegas
Organização:
Casa Visconde de Bouzões e Casa do Funil

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Arte Non Stop 2015



A 1 de fevereiro a Casa das Artes Mário Elias completa 12 anos de existência. Ao longo destes anos, e num projeto de colaboração entre a Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Mértola muitos artistas têm exposto neste espaço que se tem assumido simultaneamente como galeria e espaço de tertúlia. 
A Arte Non Stop é uma forma de celebrar o
Aniversário da Casa das Artes, através de um conjunto variado de atividades procura-se abranger várias expressões artísticas, direcionadas para vários públicos. 
A programação desta edição convida à participação ativa da comunidade, assim são várias as oficinas onde os interessados poderão aprender fazendo. Destacamos a 1ª exposição de Arte Postal na qual se desafiam todos os interessados a desenvolver o tema do Cante. Esta será uma forma de celebrar não só as Artes Plásticas mas também de homenagear o Cante, recentemente classificado como património cultural imaterial da humanidade.
Por último deixamos aqui o convite à participação de toda a comunidade.

Mértola na final das candidaturas a Marca do Património Europeu



Mértola foi uma das duas candidaturas portuguesas aprovadas, pela autoridade nacional responsável pela pré-seleção, para concorrer à Marca do Património Europeu. A candidatura resultou de um convite da Direção Regional de Cultura do Alentejo à Câmara Municipal de Mértola. A vila de Mértola e o Promontório de Sagres foram as candidaturas selecionadas para a “short list” a enviar para a Comunidade Europeia. Estiveram a concurso sete propostas a nível nacional, tendo Portugal que escolher apenas duas, para serem posteriormente avaliadas em Bruxelas.

Mais uma vez, a Vila Museu distingue-se das restantes candidaturas pelo trabalho realizado em termos do património cultural, histórico e arqueológico, e vê reconhecido o esforço da autarquia, em cooperação estreita com outras entidades, nomeadamente o Campo Arqueológico de Mértola. Segue-se, agora, a fase de apreciação pela CE, para decisão final sobre qual das duas candidaturas portuguesas agora apuradas, Mértola e Sagres, terá direito a ostentar a Marca do Património Europeu, galardão de prestígio, importante para a valorização e promoção turística em termos internacionais.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Moinho de Mértola recuperado


O Moinho de Mértola está finalmente recuperado. Uma intervenção exemplar da Junta de Freguesia de Mértola devolveu a Mértola mais um dos seus ícones. A inauguração está para breve.