Vamos falar de


quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Reciclagem aumentou 15 por cento, em 2008

A reciclagem de embalagens em Portugal aumentou 15 por cento em 2008, face a 2007. Na área de abrangência da ResiAlentejo, os valores subiram em todos os materiais e o aumento mais acentuado verificou-se no embalão.

A Sociedade Ponto Verde recebeu em 2008, mais 15 por cento de embalagens para reciclagem, do que em 2007. O papel cartão voltou a ser a embalagem mais separada, em casa dos portugueses, seguida pelo plástico. Na área de abrangência da ResiAlentejo, que inclui os concelhos de Aljustrel, Almodôvar, Barrancos, Beja, Castro Verde, Mértola, Moura, Ourique e Serpa, os valores subiram em todos os materiais e o aumento mais acentuado verificou-se no embalão.

Pedro Sobral, da ResiAlentejo, frisou que "no papel cartão foi registado um crescimento de 14 a 15 por cento", que "o vidro continua a subir, registando mais 12 por cento em 2008", e que "o aumento mais acentuado foi verificado no embalão, com mais 50 por cento", realçando o facto de considerar que "esta é a área com mais potencialidades de crescimento".

Pedro Sobral adiantou igualmente que "a meta é chegar aos 50 quilos por habitante ano, no que diz respeito à recolha de embalagens para reciclagem", e que acredita que "vai ser possível atingir este objectivo em 2011".

Depois de recolhidas, as embalagens usadas são transportadas, pela ResiAlentejo, para o Centro de Triagem, onde são submetidas a uma separação rigorosa por tipo de material. A triagem confere aos resíduos a homogeneidade e qualidade necessárias à sua reciclagem e os resíduos de embalagens são enfardados por tipo de material, sendo depois reencaminhados, através da Sociedade Ponto Verde, para as empresas que procedem ao seu reaproveitamento.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.