Vamos falar de


sábado, 28 de novembro de 2009

ANA já trabalha na operacionalidade do Aeroporto de Beja

A construção do aeroporto de Beja está "quase concluída" e já decorre o processo de certificação da infra-estrutura aeronáutica, mas ainda não se sabe quando começará a operar.

"As obras estão quase concluídas, só faltam alguns pormenores", disse o presidente da Empresa de Desenvolvimento do Aeroporto de Beja (EDAB), José Queiroz, sem especificar uma data para o fim das obras, que estão atrasadas.

"Em breve começam as inspecções e, se tudo estiver em condições, será assinado o auto de recepção provisória da obra", precisou o responsável, que, em declarações anteriores à Lusa, tinha apontado o "final de Outubro" para o fim da empreitada.

A construção do aeroporto sofreu atrasos e ainda decorre a segunda empreitada que arrancou no início de Setembro de 2008, 10 meses após o inicialmente previsto, devido a um impasse no concurso público. Apesar de esta fase das obras já estarem "em fase de conclusão", a aquisição de "alguns equipamentos aeronáuticos necessários à operação civil" da BA11 ainda está "em fase de concurso" e falta a certificação da infra-estrutura aeronáutica, disse Rui Oliveira, relações públicas da ANA - Aeroportos de Portugal, empresa que vai gerir e explorar o aeroporto de Beja.

"Ainda não há nenhuma data prevista" para o aeroporto de Beja começar a operar, disse, referindo que "já começou" o processo de certificação da infra-estrutura aeronáutica.

A ANA e o Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC) já estão a avaliar "as condições necessárias para habilitar as infra-estruturas militares" da BA11 "à operação civil", explicou.

De acordo com Rui Oliveira, já estão "programadas" entre a ANA e a FAP "as acções necessárias" para "estabelecer os acordos técnicos", que vão regular a actividade operacional e definir as taxas do aeroporto de Beja, através do uso das pistas da BA11, com vista a "viabilizar a operação civil e militar".

As duas empresas estão a desenvolver "um trabalho conjunto" para "habilitar a transferência" para a ANA dos bens afectos à actividade desenvolvida pela EDAB no aeroporto de Beja, disse.

Rui Oliveira disse também que a ANA prossegue contactos com "entidades e operadores ligados ao sector do turismo" e "diversos agentes económicos ligados à actividade de transporte aéreo" para "estabelecer acordos com vista à implementação de negócios" no aeroporto de Beja.

Através de um despacho, o anterior Governo atribuiu à ANA poderes para "promover a obtenção da certificação da infra-estrutura aeronáutica", "celebrar os acordos técnicos" com a FAP e "assumir as obrigações e assinar os contratos necessários ao funcionamento" do aeroporto de Beja, designado no documento como "Terminal Civil de Beja".

No despacho, o Governo atribuiu também à ANA poderes para "coordenar e assegurar" a "abertura da operação" do aeroporto de Beja "no prazo e nos termos que vierem a ser definidos pelo Governo".

sábado, 28 de novembro de 2009 - 06h08
in
Correio Alentejo

1 comentário:

  1. Depois de Alqueiva, porto de Sines, IP 8 e aeroporto,do que se irão queixar os alentejanos.
    Se tiverem dúvidas o deputado José Soeiro arranja algumas alternativas.
    Já agora o que irá o dep. José Soeiro fazer na Assembleia da república, já que até aqui as perguntas eram sempre as mesmas acerca daqueles investimentos? Eu ca por mim vou ficar à espera.

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.