Vamos falar de


quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Dividir para reinar ou a aflição de alguns


As autárquicas estão perto, começa a contagem das espingardas e parece que essa contagem não é muito favorável ás forças da oposição local… senão vejamos.

As movimentações dos peões afectos á oposição já começaram de forma evidente. Além dos habituais boatos e das incansáveis tentativas para diminuir o trabalho da autarquia, lançaram-se numa cruzada bloguista sem precedentes. Ao abrigo do anonimato tudo se diz, tudo se critica, numa fúria de denegrir, em que o que importa é dizer mal e criticar tudo e todos.

Mais recentemente parece que fizeram contas e chegaram à brilhante conclusão que uma das
técnicas é “dividir para reinar”, e vai daí, decidiram explorar os descontentamentos do lado do poder, e como eles não faziam nada, vá de inventar um movimento independentista dos descontentes. Movimento esse com direito a jantar, a blog de apresentação e com data marcada para a apresentação da lista e tudo (Abril de 2009, pode ser que entretanto eles se decidam mesmo). Estranhamente tudo isto mais uma vez sem rosto, com base no anonimato, no escuro…

Estes peões andaram a estudar a história recente de Mértola e estão a tentar uma repetição do movimento de cidadãos independentes que ocorreu em Mértola nas autárquicas de 85 (em que eu pessoalmente me empenhei). Esqueceram-se foi que esse movimento, que até conseguiu 11% dos votos do eleitorado do concelho, foi um movimento genuíno de cidadãos contra a politica vigente do PCP que marcou o principio do fim da hegemonia daquele partido em Mértola e na região. Por isso correm o risco de, ao incentivarem um movimento dessa natureza, serem mais penalizados que o partido no poder e o tiro lhes sair pela culatra.

Mas há ainda o problema do Bloco … o que fazer com eles? Se se coligam, os bloquistas perdem credibilidade, se não se coligam e apresentam lista é mais uma carga de trabalhos.

E do lado do poder há efectivamente a questão dos descontentes locais e nacionais, em busca de um lugar ao sol e de protagonismo. Também não se sabe ao certo qual o seu peso efectivo na contagem final.

Falta ainda na equação a participação do PSD, com quem é necessário contar apesar do mau momento que tem atravessado.

Por isso, feitas as contas, inventem movimentos, mas com credibilidade, com rosto. Se não gostam digam que não gostam, mostrem a cara, critiquem frontalmente. O resultado final será certamente muito melhor para o Concelho e certamente para a credibilidade pessoal do intervenientes. No anonimato e na cobardia não vão longe nem convencem ninguém, continuem assim e o PS pode dormir descansado.

Bom ano.

6 comentários:

  1. Caro Carlos

    O teu "post" diz, assim me parece, o contrário do que pretendes. Ou seja, se os adversários não nos preocupam é melhor não falarmos neles... Ora, ao dares palco ao tema estás a dar um sinal de sentido contrário. Acho eu.

    Objectivamente:
    1. As eleições em Mértola são pautadas, desde 1993, pelo equilíbrio.
    2. A CDU tem, nas legislativas, no concelho de Mértola, um dos melhores resultados a nível nacional.
    3. Nos últimos actos eleitorais não tem conseguido dar expressão local a esse facto.
    4. O PS ganhou à tangente em 2001 e, de forma bem mais folgada em 2005.
    5. Ganhou também no concelho em 2005.
    6. A saída do Presidente perto do fim do mandato fragiliza uma candidatura do PS.
    7. Esse facto pode ser bem menos significativo do que alguns estarão a pensar.
    8. Com PSD ou sem ele, com independentes ou sem eles (já agora quem são?), 2009 será vivido pela marca do equilíbrio. Mas isto já é uma suposição, com menos objectividade.

    Factos decisivos (para mim, como eleitor, são decisivos):
    1. Quem são os cabeças de lista?
    2. Quem os acompanha? Uma Câmara precisa de um bom cabeça de lista e de um bom presidente mas também de equipas coesas e capazes.
    3. Quem vai às juntas?

    Para evitar confusões e barracadas: não estou a comentar coisa nenhuma a nível local, mas tão só a fazer observações de ordem genérica. Quatro campanhas no concelho de Moura (1993, 1997, 2001, 2005), e uma quinta a caminho, dão-me algum conhecimento do que se passa no terreno. E também a convicção que as coisas nem sempre são o que parecem ser, muito menos a 10 meses de distância.

    Notas finais (sem ter a pretensão professoral do Doutor Marcelo):
    a) Quem está no poder leva vantagem;
    b) Quanto às oposições, das duas uma: ou apresentam candidatos até final de Janeiro, o mais tardar, ou dificilmente farão trabalho a sério no terreno;
    c) A menos que contem com o Divino Espírito Santo para os levar ao poder;
    d) Listas de independentes com jantares em Abril não ganharão a Câmara, mas poderão fazer mossa (a 1 partido? aos 2? sinceramente não faço ideia);
    d) Calma! Uma eleição é um acto de democracia, não é uma tragédia grega (fala quem já passou por várias experiências de diferente sentido: derrota em 89 e em 93, vitória em 97, vitória muito amarga em 2001, vitória em 2005).

    Bom Ano!

    ResponderEliminar
  2. @Santiago
    Os adversários são sempre de considerar, sejam eles quais forem. O que acho piada é a tentativa de forçar uma candidatura independente que na minha opinião não se sabe muito bem a quem serve. Quanto ao palco que se dá ao tema, o que é necessário é debate. O facto é que o tema incomoda, nem imaginas os mimos que já recebi aqui nos bastidores do Blog.
    No que se refere á tua análise, concordo em absoluto com ela.

    ResponderEliminar
  3. mas tu csrlos de quem tens medo???
    se fores parcial e seirio publica isto.

    OU tens medo que se descubra as verdades no nosso concelho????


    há obras a que temos de dizer sim senhor, mas há outras que muito sinceramente, inventão desculpas uma atras da outra....


    Bom ano novo..

    ResponderEliminar
  4. O Carlos deixou que a pressão fizesse dano e já deu o flanco!
    Este post é uma tentativa de tomar o pulso aos bloguistas...
    Com ou sem oposição, já estão com receio!

    ResponderEliminar
  5. É sempre com agrado que por aqui passo para saber como vai essa vila.
    Hoje fiquei a saber de mais uma novidade,lista de Independentes,será isso possivel....mas acho que era uma ideia bonita.

    ResponderEliminar
  6. Tenho vindo a acompanhar com passagens periódicas este blogue e o outro dos que se acham "intelectuais" mas que de Mertolenses têm pouco ou nada e não posso deixar de achar (passo a redundância) alguma piada a estes independentes. Eu acho que eles/as são mais "in"dependentes, e porquê?

    - São pessoas que apoiaram este executivo nas anteriores eleições mas que durante o mandato não arranjaram emprego para si ou para algum familiar seu;
    - São pessoas que se candidataram a algo da Câmara e que não foram contemplados;
    - São ou foram funcionários da CMM que não tiveram a promoção que esperavam;
    - São pessoas que por uma qualquer razão não simpatizam com as pessoas ligadas ao PCP;
    - São pessoas que não conseguem olhar para o concelho e verificar que pode não ser tudo o que foi prometido, mas mais foi feito nestes 7/8 anos do que durante todos os outros;
    - Enfim são pessoas que apoiam as causas olhando para o seu umbigo;
    Tenho dúvidas que fiquemos melhor com estes "in"dependentes.
    Só não tenho dúvidas que agora vem alguém ainda que seja alguém daqueles que assinam por baixo que vem pedir para me identificar.
    Então aqui vai:
    - Sou de Mértola, resido em Mértola, trabalho em Mértola e adoro a minha terra acima de tudo, não a trocava por nenhuma outra, com ou sem achado arqueológico na rua principal.
    Bom dia e bom ano.

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.