Vamos falar de


quinta-feira, 4 de maio de 2006

Mértola: Saber-Saber e Saber-Fazer

A Associação de Defesa do Património de Mértola (ADPM), o Campo Arqueológico de Mértola, o Instituto Politécnico de Beja e a Faculdade de Economia da Universidade do Algarve, numa acção de parceria, realizam na sexta-feira, a sessão de apresentação do primeiro Mestrado em Economia Regional e Desenvolvimento Local, a ministrar integralmente em Mértola.

"Pela primeira vez, entidades privadas sem fins lucrativos e estabelecimentos de ensino superior, numa conjugação de saberes, levam a cabo um curso de mestrado, aliando o conhecimento e a prática da ciência económica na sua dimensão territorial, ao saber construído pela aprendizagem prática e empírica, do terceiro sector", explica a ADPM numa nota à imprensa.


O mestrado, elaborado segundo as regras determinadas pelo processo de Bolonha, pretende "dotar os participantes de uma formação académica avançada, qualificando profissionais de diversas áreas temáticas, ao nível do diagnóstico, da concepção, do planeamento e implementação e da avaliação de propostas e projectos de dimensão territorial".


Contando com a colaboração de alguns dos mais reconhecidos investigadores e professores da área do desenvolvimento local e territorial, "o mestrado inicia-se a 15 de Setembro, encontrando-se as inscrições abertas até ao dia 14 de Julho, devendo as mesmas ser formalizadas junto da Associação de Defesa do Património de Mértola", explica Jorge Revez, presidente da ADPM.


"O objectivo fundamental prende-se com a formação, qualificação e capacitação ao longo da vida, pressupondo que cada indivíduo seja co-responsável pelo seu percurso e pelo da sua comunidade. Implica que os acontecimentos sejam verdadeiramente emergentes, oriundos de necessidades sentidas", explicíta Jorge Revez.

Criada em 1980, a Associação de Defesa do Património de Mértola tem desenvolvido um trabalho na qualificação dos recursos locais, físicos e humanos, numa perspectiva de desenvolvimento económico, social e cultural.

16 comentários:

  1. É muito reconfortante termos notícias como esta. Um mestrado dedicado a um tema com esta importância e impacto, a decorrer numa pequena vila do interior como Mértola, merece ser divulgado para que possa ser bastante concorrido. Esse será o primeiro passo para que possa ter sucesso nos objectivos a que se propõe. Os passos seguintes prendem-se com a qualidade do próprio curso, do corpo docente e dos mestrandos e, finalmente, com a capacidade de criar riqueza, quer económica quer socialmente, a partir de tão importante formação.

    Pelo menos, para o 1º passo, quero desde já dar o meu contributo. Para isso, peço ao bloguista @fingido, ou aos promotores, que para aqui enviem informação ( ou um link para a página do mestrado na net, que concerteza existirá! ) para que possamos divulgá-lo convenientemente, conhecento o seu programa curricular, duração, preço, corpo docente, etc.

    ResponderEliminar
  2. Caro metemaisum,

    sobre este assunto, apenas sei o que foi publicado no site noticiasalentejo.pt e que partilhei neste espaço.

    JDR

    ResponderEliminar
  3. Este mete mais um não deve ser de cá. Ou então tá mal habituado
    Estas notícias nunca são dadas aqui em Mértola em primeira mão.
    Os de casa são sempre os últimos a saber. Foi sempre assim

    ResponderEliminar
  4. Caro fingido tenho a informar-lhe que a etiqueta do bom profissional para além do "saber fazer" e "saber saber" tambem fala do "Saber ESTAR" e digo-lhe já q se não faz parte do seu vocabulário, devia fazer.
    Nada a apontar-lhe directamente, se é q me percebe, apenas critico por este ponto não fazer parte do artigo, é por estas e por outras q muitas instituições tem a má fama q tem! Afinal, não é só a teoria e o pôr em prática que interessam, é tambem preciso saber trabalhar em equipa, e com toda a gente, idosos, jovens, licenciados ou "antiga 4ª classe"... O nosso pedestal deve cair até à altura do pedestal de quem temos à frente, e nunca julgar q somos superiores seja a quem for! Equipa é equipa!

    ResponderEliminar
  5. Sr/sr.ª málingua, esse comentário merecia uma bela resposta, mas não estamos cá para confrontos, mas sim para o desenvolvimento deste concelho, senão terias de ir por outros caminhos, e não vale a pena.

    ResponderEliminar
  6. Caro(a) geografia,

    não, não o(a) entendo! Mas que raio é que vocé quer dizer? Eu limitei-me a publicar na integra um artigo de um meio de comunicação social. E não teci qualquer comentário... mas o que é isso do "saber estar"? Com essa conversa toda , questiono-me se saberá ler?

    Realmente...

    JDR

    ResponderEliminar
  7. Quem estiver contra o mestrado diga "eu"! Fui lá hoje de manhã, em funções duplas (Campo Arqueológico e Câmara de Moura) e acho, definitivamente importante que iniciativas destas tenham lugar na nossa terra. O resto é conversa da treta.

    ResponderEliminar
  8. Vai-se a ver é quemá ponte do pomarão. Quem estiver contra ela diga "eu".
    O Dr Santiago que me desculpe mas tive de aproveitar a boleia dele

    ResponderEliminar
  9. ai @fingido... você é uma seca, q horror sei lá!

    ResponderEliminar
  10. Dr Santiago,gostaria muito de saber mais sobre esta iniciativa, será que me pode fornecer outros elementos:
    Duração
    Habilitações
    Ministrado de dia,ou á noite etc....

    Agradeço desde já a sua resposta.

    ResponderEliminar
  11. @Prezada Margarida:

    Condições de Acesso:
    Licenciados em economia e Gestão, média 14+
    Outras licenciaturas cujo currículo evidencie uma adequada preparação científica de base, média 14+

    Vagas: 20,

    Incrições até 14 de Julho,

    Matrículas 1 a 7 de Setembro,

    Horário: Sextas 18:30 às 21:30
    Sábados 9:30 às 12:30

    Duração: 1 ano

    @Má Língua:

    Epá! Os da casa são sempre os últimos a saber porque não querem saber, não é?

    ResponderEliminar
  12. Obrigado talisca pela informação que o ADP devia passar para fora e fica quase sempre escondida.
    Quando a malta de cá sabe já as insrições têm acabado para os amigos.
    Atenção que quem paga tudo isto somos nós todos, logo o acesso também que ser para todos.
    Vou ficar para ver.
    E Já agora quem são os monitores?
    Vamos lá ver se sobra para outros que têm conhecimentos mas não têm ocupações.
    Vamos trazer mais mestrados, mais licenciaturas se possivel porque o desenvolvimento "também"passa por aqui

    ResponderEliminar
  13. talisca

    Para quem está aqui há meia dúzia de dias, sabes mais do que te ensinaram.
    Conta muito estar nos sítios né?
    É uma questão de inclusão, não é uma questão de querer saber. Chegaste, aninhaste, tás incluido e até já falas pelo grémio. É a hospitalidade destas gentes sabes?

    ResponderEliminar
  14. @Caro Má Língua:

    Em querendo abrir um jornal e abrindo vários (nacionais e regionais) estava lá a notícia do Mestrado. Que é como quem diz, foi divulgado. Para toda a gente. Toda a gente pode ler jornais. Até em Mértola. Com a parte boa de que para quem está em Mértola é fácil ir à ADPM e saber mais informações, ou estou errado?

    Caro Má Língua, não me inclua nos seus ataques pessoais, nunca lhe vou responder a essas provocações. Apenas respondo às mais elevadas, se me permite colocar assim as coisas.

    ResponderEliminar
  15. Entendo que temos que pôr de parte os provincianismos e perceber que qualquer oportunidade de formação que nos qualifique será sempre bem vinda. É de louvar a iniciativa, sobretudo, porque nos fica dentro de portas. Sei dar valor ao que é fazer quilómetros depois de uma semana de trabalho.
    Bem hajam pela iniciativa. Aguardo pela divulgação futura de mais mestrados noutras áreas e, para mim, é indiferente quem os promove, desde que garantam qualidade. Esta é que deve ser uma exigência sempre presente nas nossas críticas.

    ResponderEliminar
  16. Caro ma língua, se você não sabe das coisas que se passam em Mértola, é porque não tem interesse nelas, pois quer sejam actividades da Câmara Municipal, da ADPM ou de alguma outra entidade deste concelho, existe sempre divulgação das coisas, tanto em jornais regionais, como em jornais de tiragem nacional. Para mas informação basta ligar para as entidades organizadoras ou a elas se dirigir, para pedir mais informações. E como se isso não chega-se ainda temos este blog que serve de meio de informação de tudo o que se passa no nosso concelho, ou o senhor(a), só vem para aqui para deitar o seu veneno.

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.