Vamos falar de


quinta-feira, 11 de maio de 2006

Festival Islâmico 2007

Estamos a 1 ano da 4ª Edição do Festival Islâmico. Porque esse evento é um marco fundamental para Mértola abrimos aqui um espaço de sugestões.
Colabore dando a sua opinião.

26 comentários:

  1. Precisamos do festival anualmente.

    ResponderEliminar
  2. Gostei bastante do evento no ano passado.
    Penso que deveria ser anual.

    ResponderEliminar
  3. Blé Martins11/05/06, 21:46

    Caríssimos,

    Tez morena, beiçudo e bocanhudo, sobrolho farto, carão anguloso e bem apetrechado de nariz de venta larga, há por aqui (i. e´, em mim) costela árabe. Se outras razões não houvera, estas seriam, de per se, suficientes para justificar o meu gosto pelo Festival Islâmico. Portanto, gosto, ‘tá dito. Frequento o festival desde a primeira ocorrência, e mantenho sempre uma certa expectativa quanto ao próximo. E lá estarei, com a aguda curiosidade o olhar e ver, e do sentir e apreciar os aromas para o nariz e para boca, e tocar. Mas enfim, mais produtos e artefactos exóticos do que naturais das suas exóticas origens.

    Mas quero deixar aqui uma perguntinha (quiçá já feita a alguém, mas a resposta não me chegou). Porque se chama a este evento Festival Islâmico, e não Árabe, tout court, ou até Magrebino, ou do Al-Andaluz ou do Al-Garb? È que, apesar do Deus único e omnipresente, Alá seja louvado, sente muito pouco de religião e misticismo no evento…

    Outra pergunta, ainda, e que até pode passar a sugestão: Porque não reorganizar a distribuição das bancas para facilitar o fluxo dos visitantes, cada vez em maior número?

    E ainda, aquela entrada é insuportável, requerendo intervenção imediata. Pelo menos um corredor para quem entra diferente do que usam os que saiem.

    Salam alçeicum

    Blé

    ResponderEliminar
  4. as noites do festival islamico foram loucas, alucinantes. Em tempo algum Mértola teve umas animaçoes nocturnas tão animadas e cumpridas, nos bares locais e naqueles que foram improvisados.

    vamos melhorar ainda mais.

    ResponderEliminar
  5. É de facto uma iniciativa fantástica!
    Vale mesmo a pena as pessoas deslocarem-se e passar esse fim de semana em Mértola, quer seja pelo colorido, pelos aromas, pelas músicas que invadem o centro histórico, quer seja pelas noites amenas a assistir a um bom espectáculo de dança do ventre no cais do Guadiana. Quem já teve o prazer de estar sentado na esplanada do café guadiana a assistir aos espectáculos de rua, sabe bem do que estou a falar. Falta um ano, aconselho as pessoas a começar a programar o ta fim de semana.

    ResponderEliminar
  6. Que venha lá esse festival mas só espero que o mesmo não sirva de pretexto para encher o bolso de alguma clientela de Mértola que no anterior festival teve a cargo a logística.
    A C.M.MERTOLA ainda tem pessoal suficiente e com qualidade para dar essa resposta organizativa sem que o erário pública seja beliscado por outro tipo de interesses.

    ResponderEliminar
  7. Já agora, duas achegas:

    1. Fazer o festival anualmente parece-me demasiado pesado, em termos organizativos. E tende a banalizar as coisas.
    2. Não me parece lá grande solução pôr toda a logística a cargo da Câmara. Não é uma questão da qualidade dos colegas que ali trabalham. É que outras coisas ficam certamente por fazer.

    Em termos de programação é preciso lançar novas pistas em termos artísticos. Em 2001 a Culturgest teve uma iniciativa notável "Até onde chegam as oliveiras". Vale a pena olhar para os critérios dessa organização.

    ResponderEliminar
  8. @Blém Martins
    Bolas que mal escrito. Das duas uma: Ou se escreve como deve ser, ou se é para bricar não tente fazer floreados, só lha fica mal.

    ResponderEliminar
  9. Blé Martins12/05/06, 12:01

    Pois é, tenho de mudar de teclado, que este tem práki 'mas letras trocadas.
    Também já me disseram que deve ser uma dislexia digital, ou coisa ku valha!
    Reli e penso que a ideia tá lá.
    Agradeço e peço desculpas. Ainda bem que você está atento, e provavelmente nunca se engana e raramente tem dúvidas!

    Até

    BléMartins

    ResponderEliminar
  10. má lingua12/05/06, 12:40

    @Blé
    Se bem me lembro não era o cavaco que tinha uma saia igualzinha a essa?

    ResponderEliminar
  11. O(a)camarada anónimo das 2:09 AM pertence a um destes três grupos de pessoas: ou ainda vive no século passado preso a formas e organização e de poder obsuletas, ou dorme com a foice e o martelo na mesinha de cabeçeira acreditando ainda que o estado e o poder local pode controlar tudo de forma eficaz, ou então é daqueles envejosos que n sabem fazer nada, mas que gostavam muito de poder lucrar alguma coisa com as iniciativas dos outros, ou seja, também queria fazer parte da clientela.
    Tenham mais imaginação e façam comentários construtivos....

    ResponderEliminar
  12. Borges_Nefasto12/05/06, 14:25

    Penso que Mertola so ficaria a ganhar com a organização anual do festival Islamico.
    Existem muitas localidades em Portugal que tambem tem os seus festivais anuais(alguns até centenarios) e nem por isso se banalizaram com o passar dos anos.
    Mas estou completamente de acordo com o que o sr Santiago Macias diz
    no segundo ponto do seu comentario.

    ResponderEliminar
  13. Não gosto do logotipo do festival islamico. Não percebo nada de arte, ou nao sei interpretar ou entao estava habituado aos anteriores que me agradavam mais.
    Parece uma mão? Quem me ajuda a compreender a coisa.

    ResponderEliminar
  14. Festival Anual? Nem pensar!
    Falta de verbas, falta de recursos, repetição... ia banalizar e acabava por desaparecer. Muito que me custe esperar 2 anos, mas vou com outro entusiasmo. Abraços

    ResponderEliminar
  15. Mertolense12/05/06, 17:43

    Hello!!!!Mão de Fátima!!!Fátima filha do profeta Máomé!!!Vê-se mesmo que não percebem nada de arte e mt menos do Islão!
    Já agora quem fez o cartaz?Está bem conseguido, embora faltem uns retoques.

    ResponderEliminar
  16. Já agora para complementar, as letras árabes significam Mértola. E esta imagem não é o cartaz do Festival é apenas um elemento gráfico entre outros que serão utilizados em diversos suportes na divulgação e no decorrer do festival

    ResponderEliminar
  17. vendo barato12/05/06, 19:17

    Aqui fica um site de musica arabe de todos os estilos, para poderem fazer uma alargada escolha, dos artistas a trazer, no proximo festival....

    www.mazika.com

    ResponderEliminar
  18. O amigo VTF deve fazer parte da clientela referida daí este tipo de reacção. Já agora informo o VTF que no passado que pretensamente tanto o repugna obsoletas escreve-se com O e não U deve ser da sua cultura "avant gard"

    "Ninguém melhor se engana que quando consente que o enganem os outros"

    ResponderEliminar
  19. Óh anónimo das 10:35

    1- quem trata neste blog das calinadas dadas na lingua de Camões sou eu, çim?
    2- se o VTF escreve com U lá terá as suas razões;
    3- do ponto de vista etimológico a palavra pode ter a mesma raiz que absoluto. Daí a utilização do U.
    E se não tiver, paciência. Haverá Festival Islâmico na mesma, esteja descansado.
    4- Para concluir: do ponto de vista fonético quem é que vai notar a diferença em um O ou um U?
    Çim, quem vai topar?

    Trate da sua orta, çim?

    jinhos da sua leninha

    ResponderEliminar
  20. Há aqui comentários cujos autores nada têm na sua "cabeçorra". É que se tivessem alguma coisa lá dentro sempre gastavam algumas moléculas a sugerir qualquer coisa.
    Para os comentários serios e construtivos, concordo com aqueles que não concordam com a periodicidade anual, para que não se banalize o evento.
    O último melhorou substancialmente, mas cada edição deve inovar, deve gradualmente envolver toda a vila velha e o castelo deve passar a estar envolvido no festival, com animação nocturna.
    Aqui fica a minha sugestão

    ResponderEliminar
  21. Já ninguém duvida que o Festival Islâmico é um sucesso.
    Na primeira edição os visitantes vinham à descoberta, agora já decorridas 2 edições, há muito a ser consolidado dada a elevada afluência de pessoas. Devem ser tidos em consideração os espaços onde estão colocados "os vendedores" e sobretudo as questões de emergência!! Com tal fluxo de visitantes tem de existir uma forma de actuar rápida e que não coloque as pessoas em risco.

    ResponderEliminar
  22. O Festival Islâmico é mesmo muito bom, e na minha opinião acho que deve continuar a ser feito de 2 em 2 anos, tal como o Santiago Macias dizia, é demasiado pesado.
    Mas gostaria que o Festival dura-se uma semana com 2 fins-de-semana, Trazia mais pessoas, porque 1 só fim-de-semana acho que não é suficiente, pois Mértola não tem capacidade de alojar tantas pessoas, e assim 2 fins-de-semana dava para distribuir melhor os visitantes. Mas para o ano lá estou eu!

    ResponderEliminar
  23. O que dá a espectativa e o grande sucesso ao festival é a tal desesperante espera de 2 anos pelo próximo.Continuem a organizar bem e a trazer bons espectáculos, e principalmente, que a noite seja uma continuação do dia.
    obs.A Silvia não deixa de ter razão mas no centro histórico da Vila, onde aliaz, a feira deve acontecer, não se podem esperar milagres, principalmente aos sábados e Domingos. Cumprs.

    ResponderEliminar
  24. Gosto imenso do festival islâmico, compreendo porque só acontece de dois em dois anos e partilho a opinião de alguém que disse que deveria ser ao longo de uma semana incluindo os dois fins de semana. Talvez assim já não se concentrasse tanta gente naqueles dois dias. Por outro lado, merece que se prolongue, também pelo trabalho que dá a montar. Tanta energia para só durar três dias, acho pouco.

    ResponderEliminar
  25. Tonico Bastos23/05/06, 18:44

    Eu cá só tenho duas coisas a dizer:

    1º- Concordo que a anualidade do festival o iria banalizar, por isso mais vale esperar dois anos :).

    2º- Hossam Ramzy dariam um optimo espectáculo no festival, investiguem sobre este grupo e o seu estilo musical! Acho que se adapta na perfeição ao festival (se quiserem empresto uns cd's ;) ).

    P.S. - Festival Islâmico Rullez ¶¦¬þ

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.