Vamos falar de


terça-feira, 11 de abril de 2006

"Recolher porta a porta a memória ainda viva"

Na passada edição de domingo do Jornal de Notícias, a reportagem Colectividades de Portugal foi sobre a ACEA - Associação Cultural Erica andevalensis da Mina de S. Domingos.

Artigo JN


JDR
acea.info@gmail.com


8 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa! Que dê bons frutos, essa recolha. Gostava de vos pedir, se for possível, que me indiquem um site onde eu possa saber mais sobre a erica andevalensis e onde possa ver uma foto dessa planta. Obrigada.

    ResponderEliminar
  2. Blé Martins11/04/06, 20:51

    É uma iniciativa de que já tinha ouvido falar. Vi um pequeno folheto de paresentação mas achei pouco esclarecedor.
    Minas tem pouca gente embora mantenha (pelo menos de nome) duas outras associações: a do futebol e o Centro Republicano. Ambas com uma orgulhosa história e que poderiam ter desenvolvido uma "secção" cultural e não o fizeram.
    Esta parece-me congregar também elementos não residentes.
    Tal como o anónimo das 7:39 procuro notícias, não tanto da planta, mas da Associação.
    De qualquer modo, é de louvar a iniciativa e fico atento, na expectativa dos acontecimentos.
    Blé Martins

    ResponderEliminar
  3. Caro anonimo,

    Não recomendo nenhum site específico, mas se escrever o nome da planta, entre aspas, no Google, tem acesso a bastante informação, inclusive imagens.
    No entanto, aqui ficam algumas informações:
    A Erica andevalensis é uma planta endémica da Faixa Piritosa Ibérica. Encontra-se em zonas mineiras ao longo desta. Nestas zonas, ocorrem condições desfavoráveis para qualquer outra planta, são elas acidez do solo e grande concentração de metais pesados, no entanto, condições necessárias para o desenvolvimento desta planta tão peculiar. É uma espécie catalogada em perigo de extinção.
    Trata-se de uma urze, pode atingir até 1,5m de altura. É um arbusto de folhagem perene com 20 a 120 cm. A ramificação é densa e ascendente, e flores em umbela terminal.


    Caro Blé Martins,

    Penso que o folheto que refere, se trate do distribuído no Festival do Peixe do Rio. E concordo que poderá estar pouco esclarecedor, no entanto, é o reflexo do que a associação é neste momento: algo que procura uma identidade, tendo por base as intenções que levaram à sua criação, mas sobretudo a preocupação do grupo fundador em evitar criar, à partida, uma associação claramente formatada. A identidade, essa, será a consequência da contribuição de todos aqueles que já se associaram ou que o virão a fazer. Mas desde o inicio, ficou bem claro a intenção de "fazer diferente".


    Para mais informações:

    acea.info@gmail.com

    JDR

    ResponderEliminar
  4. Foi por ter feito uma pesquisa na net que encontrei a espécie "erica" em imagens muito diferentes do logotipo da v. associação. Por isso fiquei na dúvida. Daí que vos tenha pedido ajuda porque é capaz de ser uma variedade diferente. Porque não exibem uma foto para todos ficarmos a conhecer a "erica andevalensis"?Obrigada.

    ResponderEliminar
  5. Que linda! Obrigada pelas fotos.

    ResponderEliminar
  6. O gang da mina vai fazer uma recolha, de como os seus antepassados faziam para haver porradas nos bailes de antigamente, pois ja tem as suas ideias esgotadas

    ResponderEliminar
  7. anonymo das 2:45
    a sua intervenção "passou" para em definitivo dar o exemplo do estilo caceteiro que dispensamos neste blog.
    Depois chame-lhe censura...

    ResponderEliminar
  8. Pertenezco a la Asociación de Amigos de Tharsis, necesitamos contactar con la Asociación Ericca Andevalensis para tratar asuntos de interés común.
    Ruego que anguien me facilite una dirección de correo electrónico.
    El mío es agustintarsis@hotmail.com
    Gracias.

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.