Vamos falar de


segunda-feira, 3 de abril de 2006

Património paisagístico

Esta paisagem que ontem captei perto de Mértola deixou-me a pensar em algumas questões que gostava de partilhar:
- Primeiro será que a agricultura para alem do papel produtivo, não tem um outro que é contribuir para o desenvolvimento turístico, por exemplo os rebanhos são uma das imagens de marca do Alentejo, e em que medida é que os produtores podem ou devem ser compensados por isso.
- Este ano felizmente temos o Alentejo bem verde, aparentemente com bons cereais o que nesta altura do ano já não vem sendo habitual, mas todos sabemos que à excepção dos terrenos mais próximos de Beja, os restantes são pouco rentáveis, mas os cereais tem também um papel enriquecedor da paisagem, contribuem para alimentar outros elementos importantes da nossa paisagem como sejam um vasto conjunto de aves de onde me permito destacar as cegonhas.

18 comentários:

  1. Com essa tirada das cegonhas, andas andas ainda tiras o lugar ao Jorge Revez na Associação de Defesa do património

    ResponderEliminar
  2. Com essa do cereais estás para a CEE
    como o Bin Laden está para os States.
    Já andas com a cabeça a prémio por essa europa fora como o mais perigoso CERIAL-KILLER do momento.

    ResponderEliminar
  3. ... Pois mas as cegonhas não dão de comer a ninguem, nem os cágados com rabo azul, nem a pescadinha de rabo na boca. Sr. Antonio, é muito bonito ver o verdinho dos campos e as flores a nascer. Mas quando junto vêmos uma casa de taipa a cair a dizer "vende-se" e o pessoal a abalar, já nem falando nos cereais, porque nem vê-los.. puxamos pela consciência e pensamos um pouco, quem são os responsáveis? Se é essa a imagem de marca do Alentejo, deixe-me ser sincero... mas é uma imagem muito pobre.

    ResponderEliminar
  4. Ah
    E esquecime de lhe dizer sr. antonio que as cegonhas nao comem trigo

    ResponderEliminar
  5. Resposta ao Sr. António
    De certeza que não viu cereais aqui pelas redondezas. Já não se fazem / Cultivam à alguns anos derivado das politicas comunitarias "site side". Os poucos (ha) que aparecem são simplesmente para pastagens para o gado...
    Realmente os ceriais, albergavam um enorme nº de especies variadas quer para nidificação, quer para alimentação ou até para refugio de outros predadores... Mas a dita especie "cegonha", se me permite, não se alimenta de cereais, mas sim de: rãs, cobras, ratos, peixes...

    ResponderEliminar
  6. Resposta ao Sr. Antonio.
    Na zona de Mértola e outras proximas, já não se produz/cultiva cereais,derivado da Politica Agricola Comum - "site side". No entanto ainda surgem alguns (poucos) agricultores que semeiam uns poucos ha, so destinado a pastagens para o gado... O não cultivo de arvenses, veio alterar o nosso meio, visto que muitas das especies que nidificavam, alimentavam... tiveram de retirar/alterar meios de vida...
    Por ultimo só uma informação (se me permite) sobre a alimentação das cegonhas? estas comem bicharocos (ras, peixes, cobras, ratos...) e não trigo ou cevada.

    ResponderEliminar
  7. Talvez o Sr. António Medeiros tenha visto uma cegonha "vegan".

    ResponderEliminar
  8. Sempre gostei mais da praia do que do campo.
    Gosto mais da foto da Lena.

    ResponderEliminar
  9. Pensem num areal, em vez de uma ceara e num "ajuntamento" de Lenas em vez de um rebanho de ovelhas. Imagem mais agradável.
    Para terminar falta destacar uma ave - Pois que sejam as gaivotas.
    Mal por mal.
    Lena considera este "comment" como um elogio.

    ResponderEliminar
  10. @pitágoras
    ouve lá ó man, o que é que as ovelhas do Sr Medeiros têm a ver com a Lena?
    E depois dizes que é um elogio à miúda, meu? Atina e retracta-te.
    Pede-lhe desculpa no sítio próprio e oferece-lhe flores. Porta-te como um cavalheiro

    ResponderEliminar
  11. Poix é Sr António, de facto a imagem das ovelhas a pastar é de referência pra todos os Alentejanos, e poderia estar associada a uma boa imagem de marca aki pras redondezas, nisso o Sr. tem toda a razão.
    Mas sejamos realistas, isso não nos iria levar a lado nenhum, porque essa tal imagem deverá estar associada ao progresso.
    Além disso não estou a ver os nossos agricultores a "semear pra inglês ver", ou porque os campos ficam bonitos e atraem espécies engraçadas pra região.

    ResponderEliminar
  12. No que respeita ao que alguns dizem acerca do "site side", nunca tinha lido tamanha "bacorada".
    O nome para "isso" é pousio obrigatório e denomina-se "set-aside", que quer dizer que os Srs agricultores por determinada zona semeada terão obrigatóriamente que deixar de pousio uma percentagem de terra arável.

    Ou seja, os agricultores de Mértola não foram proibidos de semear pelo "set-aside", só não lhes compensa fazê-lo, porque na zona as terras são fracas, existindo porém alternativas aos cereais e aos gados.

    Até porque com as novas medidas que estão a ser adoptadas acerca dos rebanhos vão desaparecer muitos produtores de médias dimensões.

    Se a riqueza de Mértola não está nas terras, está nos produtos regionais e no turismo. Só pra exemplo o mel da zona de Mértola é um dos de melhor qualidade do país, senão mesmo o melhor ...

    ResponderEliminar
  13. Senhor António, nem tudo o que nos passa pela cabeça, deve ser dito sobe a pena de sermos gozados, eu acho que o senhor devia pensar duas vezes antes de escrever um outro post na blogosfera.
    E já agora esse cenário é real ou é tudo o sonho….. porque com aquilo que eu conheço do nosso concelho, não me parece que esta imagem seja de cá…

    Bons sonhos e muita escrita para o Srº António

    ResponderEliminar
  14. O realizador de sonhos07/04/06, 01:53

    O senhor António, vc já viu que os seus post´s davam um filme, e que até era capaz de ganhar algum óscar. Pense nisso e ainda vai escrever os guiões para os morangos com xicolate na torre do castelo

    ResponderEliminar
  15. VOLTE ANTONIO MEDEIROS NÃO SÓ ESTÁ PERDOADO COMO TEMOS IMENSAS SAUDADES DOS SEUS FRENÉTICOS E INTELIGENTES COMENTÁRIOS.

    ResponderEliminar
  16. Pois, tambem eu digo, volte António Medeiros. É necessária e urgente a sua capacidade interventiva.
    Até!

    ResponderEliminar
  17. Já percebi que não responde a anónimos, mas volte a fazer os seus comentários que eu deixarei de comentar como anónimo e darei a cara.

    ResponderEliminar
  18. so queria relembrar que o nosso alentjo é tão mais que isto.não se resume a meia dúzia de ovelhas.é tão mais bonito e encantador do que esta imagem mostra.e se o alentejo não evolui mais é porque infelizmente esta geração nao da o valor merecido e nem tao pouco seesgorça para o melhorar e os mais velhos nao querem aceitar que as coisas tem que evoluir em todos os sentidos. lúcia 22 anos

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.