Vamos falar de

Brevemente novo artigo de opinião de Jorge Pulido Valente com o titulo: RUMO Á ECONOMIA CIRCULAR. O QUE É?

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Luís Ameixa considera “inadmissível” que Governo "ignore" imigrantes

 
O deputado do PS eleito por Beja considera “inadmissível que o Ministério da Agricultura ignore a situação deplorável dos imigrantes”.
Em comunicado enviado à Rádio Pax, Luís Ameixa sublinha que “contingentes de imigrantes que chegam ao Baixo Alentejo, para trabalhos sazonais na agricultura, não têm tido as condições de trabalho e de instalação condignas que são exigíveis numa sociedade civilizada e humanista”.
O parlamentar salienta que a agricultura no Baixo Alentejo “tem conhecido acentuado progresso, em grande medida graças ao projeto estatal do Alqueva” e acrescenta que “o desenvolvimento económico só tem sentido, não como fim em si mesmo, mas como meio de desenvolvimento humano”.
Em seu entender “Portugal tem de ter uma estratégia de acolhimento pautada por padrões exigentes e humanistas” pois “não basta inspeções e processos policiais”.
Luís Ameixa lembra que questionou o Governo sobre esta matéria várias vezes em 2013. O parlamentar refere que o Ministério da Agricultura deu agora como resposta que “a matéria em apreço não se encontra nas atribuições do Ministério da Agricultura e Mar”.
“A gravidade desta resposta está na demonstração de insensibilidade da Ministra da Agricultura para a condição dos imigrantes trabalhadores agrícolas, e está na demonstração de que o Governo não se importa e não tem qualquer estratégia ou preparação para lidar com a situação”, conclui o deputado do PS eleito por Beja.
 
in

1 comentário:

  1. É de facto o deputado mais activo e mais interessado do que se passa na região. Foi assim em relação a Alqueiva, à Edia, ao Aeroporto de Beja, às Minas de Aljustrel, ao encerramento dos tribunais e ao encerramento de camas no ULSBA de Beja.Era bom que os outros seus colegas deputados pelo PSD e PCP fizessem o mesmo por este distrito.

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.