Vamos falar de


domingo, 23 de janeiro de 2011

Concelho de Mértola dá vitória à abstenção e a Francisco Lopes

Cavaco Silva - 891 votos - 27,7%
Defensor Moura - 29 votos - 0,9%
Francisco Lopes - 990 votos - 30,8%
José Manuel Coelho - 80 votos - 2,5%
Manuel Alegre - 787 votos - 24,5%
Fernando Nobre 301 votos - 9,4%
Brancos 98
Nulos 42
Abstenção - 55,4%

3 comentários:

  1. Vitória clara de Cavaco Silva se compararmos com anteriores eleições presidenciais. Clara derrota do Partido Comnista quedesce mais de 600 votos comparativo com o Jerónimo de Sousa.Se tivermos em conta que apenas o Domngos Lopes fez campanha por todo o concelho, colocando bandeiras e cartazes por todo o lado, o que é um escândalo de dinheiro gasto, e que fica mal a um partido que fala do povo e dos trabalhadores. Ficámos a saber agora que trabalhadores é uma coisa e o povo outra.Também concluimos que temos poucos trabalhadores neste País na boca do Domingos Lopes, que se apresentou sempre znmgado até com ele próprio.
    Temos que mansar os comunistas a ter um curso com o José Manuel Coelho. Ele sózinho teve quase tantos votos como o Domingos Lopes, humilhando o Partido Comunista em quase todos os distritos do Norte.
    Manuel Alegre foi uma desilusão que dividiu os votos dos socialitsas e juntos suplantam tanto a votação de Cavaco como a do Lopes-
    Mas quam ouviu ontem o Jerónimo e O Lopes pareciam estar em delirio e muito satisfeitos pelos resultados.

    ResponderEliminar
  2. Caro Bresnev

    Por vezes, as aparências iludem. Cavaco ganhou mas muito baixinho. Dir-se-á até que "encolheu".
    Perdeu 500.000 votos em relação à eleição anterior. No universo de votantes, a perda de um milhão de votos é qualquer coisa que dá que pensar.

    Nunca um Presidente da República foi reeleito com uma percentagem tão ínfima de votos como a obtida por Cavaco! Ao contrário dos anteriores Presidentes, Cavaco não alargou a sua base de apoio; minguou-a! Se a isto se acrescentarem 191000 votos em branco e cerca de oitenta mil nulos, ter-se-á uma ideia aproximada da vitória "clara" de Cavaco. E como escreve hoje Mário Soares no Diário de Notícias, "feitas bem as contas ao volume da abstenção, a metade que votou em Cavaco está longe de ser maioritária..."

    Domingos Lopes? Talvez Francisco Lopes, não? Quem tiver acompanhado nos media as candidaturas de Francisco Lopes e de José Manuel Coelho terá reparado que as duas candidaturas não se hostilizaram. José Manuel Coelho tratou o antagonista como o seu camarada Francisco Lopes...
    Pessoas mal intencionadas, decerto, insinuam que José Manuel Coelho teria sido, nestas eleições, um "alter ego" do PCP.

    Alegre sofreu uma indiscutível derrota mas teve a enorme dignidade de chamar a si o insucesso final.

    Já Fernando Nobre, que se vangloriou de uma extraordinária vitória, quedou-se pelos 14,1%. E tendo como objectivo colocar Alegre em terceiro lugar e disputar a segunda volta com o "Professor Cavaco Silva", desafiando mesmo Alegre para desisitir a seu favor, em nenhum dos concelhos escrutinados conseguiu ultrapassar Alegre. E para quem dissse que só um tiro na cabeça o impediria de chegar a Belém... julgo que está tudo dito!

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.