Vamos falar de


segunda-feira, 23 de março de 2009

Lembrar Serrão Martins


Serrão Martins continua a ser uma figura incontornável no panorama político e cultural do Concelho de Mértola. O homem que faleceu em 1982 ao serviço do Concelho, tinha uma visão de excepção tendo sido o principal impulsionador, entre outros projectos, daquele que é actualmente um dos de maior visibilidade e projecção, o Campo Arqueológico de Mértola. Foi pela sua mão que homens como Cláudio Torres e Jorge Pulido Valente conheceram e se apaixonaram por Mértola contribuído de forma indelével para a afirmação de uma região, até ai, votada ao abandono e ao esquecimento.

A Câmara Municipal de Mértola volta a “Lembrar Serrão Martins” com um conjunto de iniciativas de carácter cultural que além de relembrar o nome do impulsionador precocemente desaparecido, celebram momentos fundamentais do desenvolvimento e marcam de forma indelével o calendário cultural da região.

Na próxima quarta-feira dia 25, será inaugurado o Circuito de Visitas da Alcáçova do Castelo, trata-se de uma estrutura metálica que permite a circulação pela escavação. Esta é uma obra há muito projectada, que permitirá finalmente a visita ordenada e organizada à zona de escavações que começou a ser intervencionada em 1978. Na ocasião será apresentado ainda um livro sobre os trabalhos arqueológicos desenvolvidos.

Às 17 horas do mesmo dia será a vez de inaugurar a exposição de fotografia de Luís Pavão e a apresentação do livro “Mértola, a Continuidade e a Mudança”.

O evento termina com um espectáculo musical intitulado “canções de Brell”, com Francis Seleck e Paul Timmermans, no Cine-teatro Marques Duque.

12 comentários:

  1. O Pulido Valente apaixonado por Mértola?Como diz o Jorge Palma,deixame rir...

    ResponderEliminar
  2. Já agora aproveitem para apreciar a vergonha da estrutura metalica.Não faço ideia como vai passar lá uma cadeira de rodas,entre muitas mais faltas graves em mais uma obra publica,paga com o dinheiro dos contribuintes e uma vez mais mal fiscalisada pelos engenheiros da Camara.Parece ke kuantos mais são menos fazem

    ResponderEliminar
  3. Pois deves ter razão, entrega-se uma obra á supervisão do Campo Arqueológico, com projecto do mesmo e dá nisto...

    ResponderEliminar
  4. Quem foi? E o que fez por Mértola?

    ResponderEliminar
  5. Excelente sim senhor, esta Câmara tem sabido honrar a memória deste GRANDE SENHOR DE MÉRTOLA que foi SERRÃO MARTINS.

    ResponderEliminar
  6. pois fique sabendo meu amigo, que se nao fosse o campo arqueológico e toda a sua equipa, logo voçe tinha tanta gente de fora em mértola durante todo ano.
    o que faria uma pessoa de fora vir visitar mértola se não fosse a arqueologia.vinham ver a ponte, a escola, o comercio local ou os gelados do nicolau.abra os olhos. "GRANDE SENHOR" SERRÃO MARTINS.

    ResponderEliminar
  7. Merece-nos todo o respeito a memória de Serrão Martins pelo que sãO perfeitamente dispensáveis alguns comentários idiotas.

    ResponderEliminar
  8. Cláudio Torres voltou a não estar à sua altura
    Depois de uma digna inauguração, com o recinto finalmente todo limpo e arranjado, o Claudio voltou a deitar ódio sobre Pulido Valente.
    Se não fosse Pulido como teria sido ontem aquela inauguração?
    Claudio deveria orgulhar-se do seu discipulo Pulido Valente e estar satisfeito pela sua projecção. Mas não, Claudio não suporta quem possa ter tanta ou mais importância que ele noutras áreas.
    Pulido Valente saberá concerteza de arquelogia muito menos que Cláudio Torres, mas Pulido Valente está muitos furos acima do Claudio, em gestão, ambiente, formação autaruica e outras.
    Claudio um pouco mais de humildade só te ficaria bem

    ResponderEliminar
  9. Resposta ao anónimo do dia 24/03, 12.34 PM.
    Patindo do principio que não é de cá e não sabe mesmo quem foi Serrão Martins e apesar de não ser a pessoa mais habilitada para o fazer, vou responder-lhe:

    - António Manuel Serrão Martins, nasceu a 25 de Março de 1944 e faleceu num acidente de viação a 23 de Março de 1982, isto é, 2 dias antes de completar 38 anos.
    Foi o primeiro presidente da câmara de Mértola após o 25 de Abril e esteve à frente dos destinos do concelho cerca de oito anos, ou seja até à data da sua morte.

    ResponderEliminar
  10. O Serrão Martins foi meu professor por isso eu conhecio bem , a senhora ainda era de tenra idade, só o conhece por fotos.

    ResponderEliminar
  11. Deve ter sido um grande homem,pois é só locais e instituições com o se nome,com o devido respeito.

    ResponderEliminar
  12. Ainda bem que Serrão Martins foi honrado também em vida.Foi um Impulsionador e um Homem de luta.Mértola deve-lhe muito.Gostava que João conseguisse ter firmeza, garra e não desitir pois só dessa forma se conseguem grandes obras.Uma politica mais à esquerda é a única solução para conseguir alguma qualidade para o povo.Mel

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.