Vamos falar de


sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Nova descoberta arqueológica no Eixo Comercial. ACTUALIZAÇÃO


Foi posto a descoberto frente à GNR um conjunto de estruturas arqueológicas, que segundo Clúdio Torres sustenta em declarações à Rádio Voz da Planicie, são “uma descoberta muito importante e a monumentalidade do edifício é única”. Ainda segundo o arqueólogo, citando a mesma fonte as obras de remodeação a decorrer no eixo comercial são " eleitoralismo, por se saber que existiriam monumentos valiosos no local e outras zonas, como a “Vila Velha”, a necessitarem de uma urgente intervenção."

Teixeira Correia da Voz da Planicie afirma:"(...)Uma coisa é certa, a principal artéria de Mértola, a Rua Dr. Afonso Costa, está fechada ao trânsito automóvel, o que deverá ser definitivo, face ao Mausoléu descoberto."

Mais um achado arqueológico no eixo comercial, que aumenta as duvidas quanto ao futuro da obra e que deixa o comércio instalado na zona numa situação agravada de incerteza.

Clique aqui para aceder à noticia da Voz da Planicie.

Clique aqui para aceder à noticia do Diário do Alentejo

31 comentários:

  1. os empatas voltam a atacar

    ResponderEliminar
  2. c damasceno18/12/08, 14:51

    meu deus,
    quanta insensibilidade! tanta, que parece ignorancia!

    ResponderEliminar
  3. Insensibilidade??? De quem?? Do comentador anterior ou do Dr. Cláudio Torres. Esclareça-nos!!

    Se é do outro comentador concordo porque é necessário ter em conta a defesa do património e a importância dos achados arqueológicos.

    Se é do Dr. Cláudio Torres concordo igualmente porque é necessário ter em conta os interesses do comércio local, e ter respeito pelos mertolenses coisa que ele não demonstra ao misturar politica com uma intervenção urbanistica fundamental para Mértola.

    Bom senso meus senhores, bom senso!!!

    ResponderEliminar
  4. Só uma pergunta:
    - À quanto tempo está para fazer a rotunda ao pé do Muralha, lá não há empatas, então porque é que a coisa não avança?

    ResponderEliminar
  5. Tá para fazer desde o inicio da obra, tem prazo para ser feita. Se não tiver terminada no prazo a empresa paga multa. Onde estão os empatas a culpa não é a empresa, é dos empatas. Já agora esclareço que sou a favor da investigação arqueológica.

    ResponderEliminar
  6. O Dr. Cláudio em vez de misturar arqueologia com “politiquice” devia era agradecer à CMM por estar a fazer a obra em questão, caso contrário nunca poderia admirar um monumento tão importante.

    ResponderEliminar
  7. Claudio Torres deixou de ser credivel. Não é isento, faz politica partidária com escavações e aconcelha que tudo se faça sem pressas. Veja-se o o que está parado junto aos Bombeiros velhos, Veja-se o que está em obra junto `>a Igreija e agora a pretexto de um suposto achado a solução era fechar a estrada, o concelho e o distrito para ouvir Claudio Torres dizer que nem sabe o que ali está.
    Mais o senhor tem que provar o que diz. Não é abrir a boca e pensa que está a falar para analfabetos.Onde estão as prova cientificas que o levem a afirmar que é isto ou aquilo.Percebemos que ele tem ali o último fôlego de poder dar nas vistas, mas só temos uma solução filmar, fotografar e voltar a deixar como está.
    O que ali está sob o pinto de vista de construção, nem os achados justificam prejuizos para as pessoas e para os comerciantes.
    Teixeira Correia Voz da Planicie faz o coro e até se atreve a dizer que para já a via está interrompida.Pois está já algum tempo que ele não notou que está a haver uma melhoria que a CDU prometeu e nós estamos a concretizar.

    ResponderEliminar
  8. Oh , Claudio

    Afinal foi bom o eleitoralismo da Câmara fazer esta obra e pôr uma uma descoberta para você brilhar.
    Então em que ficamos ?
    Você devia era elogiar a Autarquia em vez de a criticar.

    ResponderEliminar
  9. o que é preciso é calma. Vamos esperar que a bomba está quasea rebentar.
    Vamos ver depois como vai ser, quando se perguntar contas ao clâ.

    ResponderEliminar
  10. Vamos convidar o José Hermano Sar aiva para fazer relatório do que se encontrou. O Cláudio é um historiador como qualquer outro que tem uma opinião, e ela vale o que vale.
    O Cidadão comum acha que se tratava de um silo. Outros abrigos para animais. Outros esconderijos. São muros de pedra como tantos outros que há pelo País fora.São iguais aos que foram encontrados debaixo da pensão Beira Rio.Queremos preservar o que vale a pena não aquilo que atrapalhe o nosso povo e que já temos réplicas q.b.

    ResponderEliminar
  11. Burrosssssssssssssssssssss

    ResponderEliminar
  12. Tá-se mesmo a ver que só um túnel da rotunda ao teatro resolveria a questão do achado.

    ResponderEliminar
  13. Mértola só poderá viver do seu património.É incómodo, obviamente, mas será no futuro (se bem integrado), o que trará pessoas e movimento e vida. É importante perceber isto...asfalto não é atracção...chouriços e queijo também não...as superfíces comerciais também vendem os tais produtos certificados. Mas o que não se pode levar para outro sítio e carece de "movimento para" é que gera oportunidades de desenvolvimento. Mértola é manual de história viva e todos se sentem orgulhosos quando têm "tempo e olhos e cabeça e coração" para perceber isso. Quem sabe este acaso não será parte do sonho que muitos sonham para Mértola?...

    ResponderEliminar
  14. Todos conhecemos Cláudio Torres.Do que ele gosta, do que ele gosta é mesmo de palco.

    Debita a toda a gente a teoria do "Mediterrâneo" sem qualquer base científica. Repete-se constantemente até à exaustão! Até parece que foi ele que descobriu Mértola! De escavação em escavação, sem na realidade saber mesmo do que se trata, imagina nestes seus achados a amelhor maravilha do mundo!

    E a Câmara Municipal, para não desfazer o vulto, lá o deixa ir metendo o nariz em tudo que é caco. E por isso não perde opinião para meter pitada senão mesmo uma grande "peta" para convencer as criancinhas e alguns ingénuos que se deixam arrastar pelas suas teorias.

    O que ele propõe é mesmo fechar Mértola, convencido que ali, tirando alguns pretensos intelectuais do seu clube de amigos, está o futuro da nobre Vila de Mértola.

    Se o deixarem, ele acaba mesmo com o Eixo Comercial e os propeitários e os comerciantes que... tenham paciência!

    Quando tudo está mais que teso, ele julga que irá consagrar-se definitivamente com os "dinheiros" da UE ou da UNESCO!

    E não háninguém na CMM que lhe cobra termo ao seu delírio?

    ResponderEliminar
  15. ninguem k fechar ruas nem ocomerçio que ele há muito que esta fechado. mértola é uma vila morta. nem pelo natal se vem ninguem ás compras vai tudo para beja ou algarve porque é tudo muito caro.............................................................................................

    ResponderEliminar
  16. Ao anónimo de 20/12/08 2:46 AM
    Apesar da sua aparente competência semântica, o seu quadro moral está cheio de pó.
    O ouro de Mértola é o seu património! Não admitir que cláudio torres é importante para mértola é um erro estratégico!
    Se não tivessemos o património...o que sobraria? Provavelmente o moderno eixo comercial cheio de vento!

    ResponderEliminar
  17. MÉRTOLA VALE PELO SEU TODO.O QUE SE CRITICA DO CLAUDIO QUE TEM A SUA IMPORTÃNCIA, MAS QUE NÃO CONSEGUE ENTRAR NO CORAÇÃO DOS MERTOLENSES, É O SEU FACIOSISMO DE SÓ PARA ELE EXISTIR O PATRIMÓNIO E ESQUECER-SE QUE TODOS OS SEUS PRODUTOS SÃO IMPORTANTES PARA A VIDA DO CONCELHO.MEL, QUEIJO,PORCOS, OVELHAS, CABRAS, VACAS, CAÇA , MINA, POMARÃO PULO DO LOBO E PATRIMÓNIO.
    TODO O PATRIMÓNIO É PRIMEIRO DO CONCELHO DEPOIS DO DISTRITO E DO PAÍS . e O QUE É TRISTE QUE A POPULAÇÃO DE MÉRTOLA NÃO CONSEGUE ENVOLVER OS FILHOS DA TERRA NAQUILO QUE É SEU. FEZ-SE PASSAR A MENSAGEM QUE O PATRIMÓNIO É DO CLÁUDIO, FAMILIAS E AMIGOS. NÃO TODO AQUELE PATRIMÓNIO É DO MUNICIPIO. É ELE QUE TEM PAGOP QUASE TUDO E CONTINUA A PAGAR. CLÁUDIO VAI TER QUE SE REDUZIR AOS SEUS BONS CONHECIMENTOS E SUBMETER-SE AO CONTRADITÓRIO DE OUTROS QUE SABEM TANTO OU MAIS QUE ELE.

    ResponderEliminar
  18. Há por aí uns quantos anónimos da oposição que quando falam do eixo comercial imputam a parte negativa à maioria socialista. Mas a ideia inicial tenebrosa que não contava com parques estacionamento foi da CDU, com a grande defesa deste projecto por parte do snr Guilherme e vereador de então Miguel Bento.
    Vamos repôr a verdade.

    ResponderEliminar
  19. Por amor de Deus deixem de bater num homem tão pacifico como é o Cláudio Torres.
    Reconheça-se a sua competencia e o que tem feito pelo Concelho de Mértola.
    Sejamos honestos e não ingratos.
    Ele não morre de amores pelos socialistas de Mértola mas lá por isso não vão crucifica-lo. Quer queiram quer não, ele pôs Mértola no mapa, Mértola é moda Nacional e Internacional.
    Ele é festival Islâmico, ele é polo de Universidade, ele é museu islâmico, é obvio que o campo arqueologico de Mértola, com o Cláudio o Santiago, o virgilio e outros foram o motor do que hoje é Mértola.
    E quem não quiser ver isso é cego, burro e facioso.

    ResponderEliminar
  20. Extraído do “Jornal de Notícias”, de 2008-12-19 e inserto no artigo de Teixeira Correia, sobre a descoberta do mausoléu do século VI:
    '… Cláudio Torres descreveu o edifício como sendo "muito luxuoso", sendo interiormente "revestido a mármore". …'
    Revestido a mármore?! Mármore rosa, branco, preto ou incolor? Ninguém ainda viu esse revestimento de mármore, onde está? Ou isso foi só para estimular a imaginação de quem não passou ainda pelo local?

    ResponderEliminar
  21. É tempo de parar com divisões e misturas...partidos são feitos de pessoas, pessoas que lutaram muito por um regime democrático com muito sofrimento (alguns...entre eles o Dr. Cláudio). Desfazer e continuar a apontar com despeito e ingratidão os não apoiantes do partido socialista ( que de socialismo só tem o nome...)é triste e redutor...
    É verdade que tudo é importante para Mértola, tudo tem valor e tudo é património, mas o que destaca um lugar de outro é a sua especificidade, sobretudo se ela desperta no resto do mundo curiosidade e vontade de partilhar dessa "riqueza patrimonial" que dá mais vida a lugares como Mértola que está sem gente...o desenvolvimento é gerado por um conjunto de factores que conferem interesse a um dado lugar.Tomara nós que mais património histórico se viesse a descobrir e que o Dr. Cláudio contribuísse ainda mais para o enriquecimento cultural da nossa terra. Ele e os amigos são "donos" do saber e da capacidade de investigação e divulgação, não do património. Não sei quem tanto sabe para tanto incentivar à desconfiança e ao banalismo de uma realidade que é motivo de desenvolvimento local...cuidado! Não é bom este ataque a pessoas de valor e de quem muitos meRtolenses gostAM.
    bOAS feSTAS.

    ResponderEliminar
  22. Não é, ainda, a altura de se fazer a história recente da arqueologia em Mértola. Mas é espantoso verificarmos o mal-estar que uma das imagens de marca da nossa vila, no país e no estrangeiro, causa junto dos “anónimos” que por aqui e ali vão escrevendo. É também notável que é raro o adversário da arqueologia e da investigação que dê a cara e se mostre. Preferem quase sempre o ranger de dentes e a cobardia.

    Vamos a factos:
    1. Durante os trabalhos de renovação do eixo comercial foi encontrado um importante monumento funerário;
    2. Como não acompanho os trabalhos no local as únicas coisas que posso dizer são: a) O monumento pode corresponder a um espaço martirial, ao túmulo de alguém a que era conferida uma aura de santidade; b) As sepulturas que se podiam ver no exterior há uns dias vão sentido e podem corresponder a enterramentos “ad sanctos”; c) O monumento deve datar do século VI, época em que se operam importantes mutações na liturgia; d) É provável que integrasse uma necrópole correspondente a uma comunidade oriental ou de origem no Mediterrâneo Oriental; e) Isso confirma a hipótese por nós colocada há já uns bons anitos…
    3. Trata-se de um monumento invulgar e de grande interesse histórico e patrimonial, cuja preservação deverá ser muito seriamente equacionada.

    Vistos os factos, vamos às questões:
    1. Quais os resultados das reuniões envolvendo as diferentes entidades e partes interessadas?
    2. Os principais envolvidos neste dossiê estão de acordo com a hipótese do trânsito ser cortado, de forma transitória e/ou definitiva, naquela artéria?
    3. Quem irá pagar os custos adicionais da intervenção de musealização? O IGESPAR deveria ser chamada a esta parte da discussão. É difícil admitir que uma entidade de cúpula como aquela se limite a apontar soluções e ideias sem avançar com uma participação financeira para a resolução do problema.
    4. Não será difícil concluir que o pior cenário possível seria o do impasse, ou seja, nem conclusão da rua tal como inicialmente previsto nem espaço musealizado.

    ResponderEliminar
  23. Muito bem santiago, candidata-te por quem quiseres que teras o meu voto.Es o melhor.

    ResponderEliminar
  24. No que se refere á importância do achado os técnicos que investiguem e opinem, espero que se confirme a sua qualidade. Também julgo que o monumento deve ser investigado e preservado, será certamente no futuro mais um motivo de interesse e uma mais valia para Mértola e para as suas gentes. No entanto não me parece que no imediato se encontre uma solução célere e consistente para sua musealização e muito menos meios financeiros para a por em prática. Por isso depois da investigação que está a ser alvo deve ser protegido e tapado de forma que se possa terminar a obra em curso. Esta solução é certamente melhor que deixar as ruínas sem protecção e o eixo comercial com uma ferida aberta que não serve a ninguém. Devem ser de imediato procuradas soluções arquitectónicas e de engenharia para a musealização do monumento bem como os meios financeiros para a levar a cabo.
    Já agora aproveito para dizer que o Dr. Cláudio Torres não é Demónio nem Deus é um homem como qualquer outro, com qualidades e com defeitos, Mértola deve aproveitar as suas qualidades e não valorizar os defeitos.
    Uma última palavra para os anónimos. Sinceramente não percebo o que custa dar a cara. A troca de ideias ficaria muito mais rica e as opiniões ganhariam maior credibilidade e consistência.
    Património sim, sempre, arrogância nunca.

    ResponderEliminar
  25. Chega de má língua e de ingratidão.
    Não reconhecer o valor e a capacidade de Cláudio Torres relava de pura estupidez e ignorância.

    Goste-se ou não, do que não há mesmo dúvidas é de que Cláudio Torres mudou Mértola.

    E no que a esta vila respeita, AC (antes de Cristo) e DC (depois de Cristo) proponho que, mantendo-se as abreviaturas, se explique aos analfabetos que postam neste Blogue e às criancinhas que estão a aprender História, a verdadeira significância das ditas abreviaturas, ou seja: AC (antes de Cláudio)e DC (depois de Cláudio). E não causará isto engulho de maior: pois não foi Cláudio um Imperador romano?

    ResponderEliminar
  26. Ainda bem Carlos Viegas que vieste equilibrar as coisas, no que respeitaz ao Claudio, de facto é um homem comum que todos devemos reconhecer o valor e não os defeitos.

    ResponderEliminar
  27. De facto, é aflitivo ler alguns dos comentários aqui feitos, pela ignorância que demonstram e pela arrogância que essa mesma ignorância confere... Se não acreditamos nas opiniões de especialistas reconhecidos internacionalmente, então vamos acreditar em quem?
    Quanto aos ataques ao Cláudio Torres, só espero que venham da parte de gente que não conheceu Mértola há 20 anos atrás, por não ter idade para isso. Se Mértola está no mapa e é hoje uma referência internacional, ao Cláudio Torres se deve, com o apoio do Serrão Martins e com o trabalho de todos os colaboradores do Campo Arqueológico de Mértola. Ter diferenças político-partidárias nunca pode conferir o direito à calúnia ou à injustiça!
    Quanto ao achado, espero bem que possa ser encontrada uma solução de consenso que permita a sua musealização e a concilie com as obras do eixo comercial - ou pensa quem fala de ânimo leve que os muros são todos iguais? O que é o Coliseu de Roma? Uns muros de pedra. As termas de Caracala? Mais muros... O templo de Évora? Umas pedras empilhadas em cima umas das outras... Haja bom-senso! O que agora apareceu em Mértola não é assim monumental mas tem o valor da sua raridade em termos arqueológicos e pode, sim, ser mais um factor de desenvolvimento para o concelho! E não haja grandes ilusões - o que pode desenvolver um local á o que marca a diferença e em Mértola a diferença passa pelo seu Património Cultural! Que ninguém duvide disto!

    ResponderEliminar
  28. senhores da camâra ai temos mais um bico de obra,novas sepulturas mais um atraso nas nossas obras mas aonde é que isso chega.Por esse andar até parece as obras de Santa Engracia. Será que este empenho de trabalhos dos arquiologos virá um dia mais tarde dar uma vida melhor a Mértola?..............................................................

    ResponderEliminar
  29. Tens dúvidas informa-te, não há pachorra......

    ResponderEliminar
  30. Antonio Medeiros24/01/09, 00:56

    li alguns comentários, não têm o minimo de valor, não sabem o que dizem, se não fosse a arqueulogia, (Cládio Torres)provalmente o comercio de Mértola,assim como a própria vila já estariam à muinto tempo fechadas.
    Tantos anónimos em Mertola, não ha Manueis, Josés etc.

    ResponderEliminar
  31. Pessoalmente verifico que há um grande bico d'obra na rua principal.
    Quando dizem que Mértola hoje é mais conhecida fora de fronteiras municipais, não sabem o que dizem. Isso não é verdade, continuamos tão esquecidos como sempre. 30 anos passados, vemos que so com a arqueologia retrocedemos no tempo enquanto Serpa, Castro ou Ourique /Almodôvar andaram rumo ao futuro
    A escavação tem de ser valorizada, mas a população vale mais que isso, por isso tomo a posição mais extrema...Mudem Mértola. façam uma nova vila e deixem esta para o SR de Tondela esgravatar até se enjoar.
    Um dia, quando estudarem as elites de Mértola durante a Democracia verão Torres e Revez como o par ideal na terra.
    No meu ponto de vista ali não da para fazer museu, porque se perde todo o comercio e quem vive o dia-a-dia nas margens do Guadiana tem de ir a Beja ou a VRSA, ou mesmo ao Granado às compras (Torres está + tempo fora que em Mértola).

    Respeito e agradeço muito a Cláudio Torres, mas está na altura deste sair de cena e deixar fazer outras coisas como estradas, casas, fabricas... futuro, que é o que queremos!!!
    MÉRTOLA AOS MERTOLENSES

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.