Vamos falar de


sábado, 29 de novembro de 2008

Governo confirma "empenho" na pista de águas bravas de Mértola


O projecto da pista de águas bravas no rio Guadiana, promovido pela Câmara de Mértola, pode avançar no próximo ano. A garantia foi deixada ao “Correio Alentejo” pelo secretário de Estado da Juventude e do Desporto, confirmando as palavras do autarca Jorge Rosa durante a entrevista concedida na última edição do “Correio Alentejo” .

“Há condições para o projecto avançar em 2009. E com a capacidade que temos para candidatar estes projectos a fundos comunitários e estando o projecto pronto, como penso que está, podemos despachá-lo, por ventura, até ao final do ano”, revelou Laurentino Dias, não poupando elogios às características da futura infra-estrutura desportiva.

“É um excelente projecto, que valorizará muito a região e o país. Porque é um projecto único e que terá uma importância turística e desportiva assinalável”, sublinhou, para acrescentar: “Desde o primeiro momento que [no Governo] privilegiámos projectos que tenham ambição e sejam inovadores no país em matéria que respeite ao desporto e ao turismo. E esta pista de águas bravas será a única do país, tendo um nível europeu claríssimo e funcionando como mais uma âncora para o desenvolvimento de Mértola e da região”.

Nesse sentido, Laurentino Dias revelou existirem condições para que o projecto possa vir a ser apoiado financeiramente até 75% do valor total do investimento previsto, com recurso às verbas disponibilizadas pela União Europeia no âmbito do novo QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional.


In Correio Alentejo
sexta-feira, 28 de novembro de 2008

7 comentários:

  1. Calados que nem uns ratos, à espera de piores dias

    ResponderEliminar
  2. Mais uma boa noticia em altura de crise

    ResponderEliminar
  3. Já agora os vereadores comunistas também votaram contra este investimento? Como votaram contra a entidade de turismo, fico à espera da resposta.

    ResponderEliminar
  4. É normal os comunistas votarem contra projectos de desenvolvimento, eles vivem do descontentamento, para eles quanto pior melhor, e até demagogos são, pois comentam a actual crise como se a mesma fosse exclusiva de Portugal e culpa do governo. È impossível fazer uma análise séria da actual conjuntura sem a ver num contexto global.
    Já agora também devem estar calados com a Ponte Internacional do Guadiana que está em fase de execução e que por interposta pessoa tentaram impedir que se concretizasse, quando anos antes diziam às pessoas que não desistiriam de lutar por ela, e que a culpa era dos sucessivos governos. Como vão estando calados à medida que as várias obras em curso no Concelho vão ficando prontas tais como o saneamento, as ruas da Vila e por ai a fora.

    ResponderEliminar
  5. Ao anónimo das 9:48 (porque raio haverá tanto "anonimato" nestas coisas?) que disse:
    "É normal os comunistas votarem contra projectos de desenvolvimento, eles vivem do descontentamento, para eles quanto pior melhor" etc

    Sempre gasto uns segundos para lhe repetir a imortal frase "olhe que não! olhe que não!".

    E, perdoe-se-me jogar em casa e em causa própria, para o convidar a clicar nestes links:

    http://www.cm-moura.pt/termosolar.pdf

    http://www.cm-moura.pt/Sunflower.pdf

    http://www.cm-moura.pt/e_acciona.htm

    http://www.cm-moura.pt/e_Logica.htm

    http://www.cm-moura.pt/energias.pdf

    Bem sei que isto não tem a ver com Mértola mas a graçola, velhíssima e gasta, dos comunas serem contra (!) o desenvolvimento já deu o que tinha a dar.

    Cumprimentos
    Santiago Macias

    ResponderEliminar
  6. È de inteira justiça reconhecer que o trabalho realizado em Moura, no domínio das energias renováveis é notável!
    Parabéns aos que estão ligados ao projecto e que tiveram a visão e capacidade de criar condições à sua realização.
    Mas o Santiago comentou só esta parte, nada disse sobre muitos dos projectos que têm vindo a ser concretizados em Mértola pelo actual executivo e que foram criticados, alguns, outros até obstaculizados pelas forças locais do PCP, como exemplo dou-lhe a ponte do Pomarão, e esse foi o propósito do comentário.

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.