Vamos falar de


quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Alargamento da Estrada do Pomarão até final do ano

A Câmara Municipal de Mértola deliberou, por unanimidade, aprovar a adjudicação da empreitada de alargamento da EM 514, no troço entre a ponte internacional do Pomarão e Salgueiros. Esta obra será realizada no âmbito do convénio celebrado entre a Diputácion Provincial de Huelva e a Câmara de Mértola.

O alargamento da estrada 514 vai ser executado pela empresa EIFFAGE INFRAESTRUCTURAS, SA, com um custo de 856.872,59 € e deverá estar concluída no prazo de um mês e meio.
Esta é uma obra que complementará as obras da nova Ponte Internacional do Pomarão.

12 comentários:

  1. Ah.. agora os homens da cDU já aprovaram as obras. Então não tinham votado contra o plano e orçamento?
    Tomem cuidado com as obras, que ou me engano ou o Jorge Revez vai tentar impedir a obra de avançar porque pode haver por ali algum bicho do mato, um asaramugo, um abutre, ou sei lá.... um bilharuco que pode encalhar nalguma esteva, ou nalguma máquina.

    ResponderEliminar
  2. Não sabia que os saramugos também eram bichos do mato, deviam era aprender com os Espanhois em mês e meio fazem uma obra desta envergadura, os Portugueses necessitam de 365 para executar o obra do eixo comercial e a ligação Mértola/Castro Verde estrada 123 não fazemos idéia quanto tempo vai demorar, tiveram preocupação em sinalizar a obra fazê-la está queito.

    ResponderEliminar
  3. Os portugueses trabalham ao ritmo certo, necessário e adequado. Os espanhóis trabalham tão depressa que têm o dobro do desemprego de Portugal.

    ResponderEliminar
  4. Você tenha vergonha e veja lá se dobra a língua quando fala do Dr. Jorge Revez. Bicho do mato é você.

    Manuel Francisco Ortigão

    ResponderEliminar
  5. Pois mas também têm mais do dobro da riqueza, e estão a dar cartas na europa nós marcamos passo. Bom temos o magalhães, e um grande homem para o vender que se chama José Socrates.

    ResponderEliminar
  6. E quem é este Manuel francisco Ortigão, então não sabe que o Vereador Jorge Revez andou a tentar impedir que a ponte fosse para a frante, então não sabe que foi o Jorge ERevez que emprestou o barco ao Luis De La Rosalita para este usar contra a realização desta obra, então mas quem é que tem de dobrar a lingua, então mes querem ver!

    ResponderEliminar
  7. tal como a Dra. Manuela Ferreira Leite tambem o PCP gostaria de ver suspendida a democracia, mas no caso não por 6 meses, eles gostavam de a ter interrompido em 1975 até hoje, alguem lhes trocou as voltas e até hoje ainda não lhes entrou na cabeça.

    ResponderEliminar
  8. moi-te, pelos vistos a democracia só existe para os lados do Partido Socialista. Os Comunistas agradecem a lição dos grandes democratas do pós 25 de Abril, mas quando foi necessário derrubar o fascismo estiveram sempre na primeira linha, e continuam a estar sempre na defesa dos ideais de Abril ao contrário de outros que vão navegando ao sabor do vento, conforme dá jeito para defender o tacho.

    ResponderEliminar
  9. 6 meses com o Hugo Chavez a governar portugal, queria ver a volta que esta pocilga dava, ai se dava!!

    ResponderEliminar
  10. Você é mesmo da. Não sabe o nome dos animais que existem no nosso concelho. Quer dizer as coisas, mas nem sabe o das pessoas, aual Luis de la Rosalita, é Luis de la Rasilha. Se calhar sei melhor das coisas do que você imagina. Vai mas é dar uma volta para vêr se referescas a ideias.
    Manuel Francisco Ortigão

    ResponderEliminar
  11. Ao Ortigão

    Não jogues coma as palavras. Para quê gaguejares. Antes também à deriva. Espera e aguarda e faz os possiveis por utilizares só o teu PC. Sou teu amigo e depois não digas que te não avisei. Não te esqueças que mesmo à Deriva quando difamamos temos que dar contas.
    Não esperes pela demora..

    ResponderEliminar
  12. o nome correcto do Espanhol a quem o Jorge Revez empretou o barco para tentarimpedir a realização desta importante obra para o Concelho de Mértola é Luis de la Rasilla, amprendam!

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.