Vamos falar de


quarta-feira, 4 de junho de 2008

Câmara clarifica protocolo com a Cooperativa de Habitação


A Câmara Municipal de Mértola aprovou por unanimidade uma adenda ao protocolo celebrado com a cooperativa de habitação Coophecome, com o objectivo de definir com clareza os direitos e deveres de ambas as partes.

Neste documento é estipulado que a Câmara Municipal garante o pagamento das despesas com os projectos, quer das infra-estruturas, quer das habitações, e a empreitada de execução das infra-estruturas, cujo valor total estimado é de 1.575.369,58 €. O município compromete-se também a disponibilizar os terrenos para a totalidade do loteamento, aos quais é atribuído o valor de 268 mil euros.

A Coophecome fica incumbida de pagar à Autarquia, após a construção das habitações, o valor de 482.494,15€ referente aos custos das infra-estruturas específicas de cada lote. A cooperativa compromete-se a efectuar a construção das habitações num prazo máximo de três anos, após o início da sua construção.

5 comentários:

  1. E as casas? Quando começa a construção? Quais os preços finais?
    Estamos fartos de esperar!!!

    ResponderEliminar
  2. manel Alegrucho07/06/08, 20:19

    Digam o que disserem da CDU mas a Camara da CDU não cobrou nada aos proprietários das casas da do Cerro da Forca enquanto que estes querem cobrar 482.494€ pelo custo das infraestruras o que dá cerca de 5000,00€ porque será?
    A isto chamo socialismo de pacotilha. Abram os olhos senhores cooperantes.

    ResponderEliminar
  3. @Manuel Alegrucho
    Antes de mais é necessário esclarecer-te que a Câmara não é da CDU nem do PS. A Câmara é a Câmara eleita por todos nós. Depois gostava que nos informasses porque é que a Câmara tem que pagar as casas ou parte do valor das casas da cooperativa? Então e a minha quem paga? Também é a Câmara? Será melhor esclareceres que alguns cooperantes queriam casinha grande e barata paga pelos nossos impostos. Deixa lá não te preocupes, tanto que é justa a decisão que até foi por unanimidade. Não venhas para aqui lançar areia prós olhos do pessoal!!!

    ResponderEliminar
  4. Convem esclarecer o sr. Manuel que a cooperativa de habitação não é um bairro social. Nela estão inscritos professores, militares da G N R, etc, que não podem ser considerados sem abrigo. Já agora também me dava jeito que a Câmara me pagasse a casa, sou sózinha e com filhos. Se reparar bem, sr Manuel o que a Câmara está a fazer já é uma grande ajuda.

    ResponderEliminar
  5. Enfim temos municipes conscienciosos e coerentes continuem assim que no fim nem cuecas têm para vestir.HiHiHi.......

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.