Vamos falar de


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Unidade Móvel alerta para os perigos da obesidade

A Unidade Móvel Médico-Social de Mértola iniciou uma nova campanha dedicada à Alimentação/Obesidade, com o objectivo de alertar a população para as consequências do excesso de peso e da necessidade de adoptar hábitos de vida saudáveis.

A campanha é dirigida a toda a população, mas dará uma atenção especial às crianças, jovens e idosos, percorrendo todas as escolas do concelho e instituições de solidariedade social. Para além dos conselhos, os técnicos da Unidade Móvel realizarão uma avaliação nutricional. Esta campanha irá prolongar-se até ao final de Março.

4 comentários:

  1. A titúlo de dica,porque não uma campanha contra os maleficios do alcóol, e das drogas.
    E já agora o problema da depressão em que as pessoas, algumas, se encontram.
    Que meios sociais podem ser activados, quem os pode ajudar.
    Assistentes sociais, em Mértola não faltam.
    È só uma dica

    ResponderEliminar
  2. depressão,assistentes sociais?safa...nao queria estar na pele delas(eles).DROGAS parece que já houve qualquer coisa,mas porque na~fazer chegar uma proposta como deve ser aos responsáveis?parece-me boa ideia.

    ResponderEliminar
  3. Drogas ,parece que já houve qualquer coisa?
    Todos os dias nos confrontamos com essas pessoas que vivem nesse inferno.
    Posso começar por dar uma ideia:
    - Dar informação preventiva ás populações para alertar para sintomas e sinais de alerta para pessoas com problemas.
    - Nas escolas fazer um trabalho precoce para elucidar os alunos, e professores para a temática da droga,do alcool, e do sexo, tendo em conta a nossa realidade e sem tabus.
    Na nossa terra não são só os idosos que necessitam de actividades ludicas para se abstrairem do seu monótono dia a dia, são tanbém os jovens,e mais velhos que gritantemente dizem por atitudes que estão fartos de tudo isto.
    O estar na taberna é sinónimo de que não há nada diferente para fazer, ou não existe motivação das partes competentes para puxarem estas pessoas para outras actividades que não seja o caminharem a passos largos, para doenças muitas vezes incuravéis.
    Ataquemos o cerne da questão e faça-se esse tipo de campanha de forma agressiva e incisiva, para ver se algo muda, ou então não mudará nunca.
    Eu apoio este tipo de iniciativas

    ResponderEliminar
  4. Este governo acabou com todos os apoios que existiam para se trabalhar a prevenção na droga e alcool. Durante anos todos se podiam candidatar para trabalhar este tema,existiam projectos giros, como aconteceu durante algus anos,agora ja não. Uma vergonha.

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.