Vamos falar de


quinta-feira, 18 de outubro de 2007

PIDDAC 2008: Números já são conhecidos

Já são conhecidos os valores inscritos no PIDDAC-Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central para 2008.

Para o distrito de Beja estão inscritos cerca de 92 milhões de euros mais cerca de 13 milhões do que em 2007.

No distrito de Beja se fizermos uma análise por concelhos é possível dizer que a sede, Beja, é a que tem maior valor inscrito com mais de 21 milhões de euros, destes, mais de 15 milhões são de fundos comunitários. Comparativamente com 2007 o distrito de Beja recebe mais cerca de 4 milhões de euros.

Curiosamente, para 2008, o concelho de Castro Verde não tem qualquer valor inscrito em PIDDAC e Almodôvar é o que recebe menos: 7 mil e 93 euros.

Entretanto também já é conhecido o mapa das transferências do Estado para os Municípios, no total dos 14 concelhos, o distrito de Beja vai receber cerca de 102 milhões de euros, mais cerca de 5 milhões do que em 2007. Por concelhos, Odemira é o que tem maior verba atribuída com mais de 14 milhões de euros, segue-se Beja com perto de 11 milhões de euros. Cuba é, no distrito de Beja, o concelho que menos verbas vai receber: um pouco mais de 3 milhões de euros.

In - Rádio Voz da Planície - Inês Patola

2 comentários:

  1. SrºViegas o menino é mesmo mauzinho... aliás é uma fotocópia mal tirada de qualquer funcionáriozeco
    de partido em funções no Alentejo profundo.
    Então não tem vergonha de fazer referência a que Castro Verde não tenha qualquer verba inscrita no PIDDAC e em contra partida não diz nada de Mértola que nem sequer é mencionada no comunicado.
    Ò meu catraio não se esqueça que Castro Verde tem praticamente resolvidos quase todos problemas infraestruturais enquanto que Mértola é só fachada e propaganda aliás copiam fielmente o Engº com o curso comprado.

    ResponderEliminar
  2. Sr. Castrense, você é mesmo mal educadinho. Então você não tem vergonha de vir para aqui mandar "bitates" e bocas ofensivas sem antes verificar que o texto publicado é informação veiculada na Rádio Voz da Planicie pela Jornalista Inês Patola.
    Quanto ao epiteto de catraio tomo-o como um cumprimento se é porque os catraios costumam dar a cara a assinar aquilo que dizem a si cobardola fica-lhe a matar pois andar escondido atrás do anonimato é pouco dignificante.
    Já agora, o facto de Castro Verde ter os problemas infraestruturais resolvidos só abona em favor dos seus autarcas que desde o 25 de Abril tem vindo a fazer bem as tarefas para que foram eleitos, já no nosso caso essas tarefas foram começadas mais recentemente senão não estariamos agora a fazer o que já deveria estar feito e provavelmente agora tb não teriamos nada inscrito em PIDDAC.
    Quer mais explicações ou ficamo-nos por aqui?

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.