Vamos falar de


domingo, 17 de setembro de 2006

Os animais são nossos amigos... mas não muito?!?!


Mértola. Domingo à tarde. Dia de partidas e chegadas. Tarde de Verão já longe e de Outono ainda longe. Nada para fazer. Onde nos situamos? Café. Poderia ter sido num qualquer café desta nossa linda vila. Número elevado de pessoas. À conversa. Uma das conversas despertou-me.

Os cães e os gatos deste nosso concelho à beira-rio sentado...
O novo, penso que é, canil, o seu tamanho, as suas condições. Eis que surgiram as dúvidas. É só canil ou também é gatil? É um espaço para onde se transportarão os animais abandonados? Ou funcionará como "hotel" de animais e terá de ser pago? Animais selvagens, digamos, que não permitem qualquer contacto, a ser mortos porque se encontram em número elevado em algumas zonas da vila... Perigo para a saúde pública, será? Custos do munícipio?

Alguém tem alguma coisa a dizer? Alguém pode esclarecer?

14 comentários:

  1. Espero que a abertura desse canil implique uma tomada de posição, por parte das autoridades competentes, relativamente à situação vergonhosa em que as encostas junto a mértola se encontram. A quantidade de barracões para pôr os "canitos" e demais animais domésticos é impressionante.

    cumprimentos

    F.R

    ResponderEliminar
  2. A actualidade do seu "post" leva-me a também colocar um outro, cujo tema, será próximo. Parabéns.
    E porque a sua ultima frase é oportuna, permita-me que a utilize, também no meu "post".
    Cumprimentos, OJ

    ResponderEliminar
  3. Agradeço desde já a quem teve o interesse em comentar este post. No entanto, podemos ver, que, mais uma vez, os assuntos que realmente interessam, à vila e à sua população, raramente são comentados ou suscitam interesse.
    Serão os assuntos desinteressantes ou estarão as pessoas desinteressadas, observando atentamente o seu umbigo ou as posses dos vizinhos?

    ResponderEliminar
  4. È deveras um assunto de grande interesse.Na minha opinião as autoridades competentes deveriam ser mais incisivas nas adoestações aos cidadãos que possuem um ou vários canitos, as pessoas continuam a ter cães e gatos, mas ao fim e ao cabo não os cuidam como eles merecem.A autarquia devia fazer um levantamento exaustivo desses cães e gatos e se necessário fosse, tomar as devidas providências para que não representassem um perigo para a saúde publica, estes animais são muitas vezes portadores de doenças e parasitas que são altamente prejudiciais ao ser humano.È inconcebivél que se vá a caminhar pelas ruas e a todo o instante termos de ter em atenção com algum presente deixados pelos animais que deambulam pelas ruas da vila.
    Realmente também não sei se o edificio que foi feito pela autarquia nos Bernardinos, se destina a ser hotel em que cada um terá de pagar para que o animal seja convenientemente tratado(o que eu acho bem desde que seja a preços acessivéis), ou canil gatil que terá a função de providenciar a recolha de animais pelas ruas de Mértloa,para posterior providência do destino a dar a esses mesmos bichos.Eu sou uma pessoa que me sinto lesado na minha qualidade de vida,só porque tenho a pouca sorte de morar numa zona perto da mata de Mértola, e o que ai se encontra é VERGONHOSO,é um auténtico zoo e os animais a viverem em condições deplorantes,já para não falar do barulho que fazem diáriamente durante toda a noite,não deixando descansar quem no dia seguinte tem de ir trabalhar, no verão o cheiro que vem dessa zona é nauseabundo, em questões de saúde publica já aqui foi descrito o perigo que esta situação representa.

    - Porque é que não se faz dessa zona da mata um circuito de manutenção?
    - Porque é que o Parque Natural do Guadiana não interfere neste assunto?
    - Porque é que a C.M.de Mértola não é mais interveniente,não têm fiscais?
    - Porque é que as pessoas que têm aí os animais não os guardam em suas casas, sim porque a maioria das pessoas moram afastadas do local porque não querem ter a Merda que os animais fazem em sua casa , mas não se importam que os outros levem com o cheiro,com as carraças que entram pela casa dentro, e com um barulho de por qualquer um maluco.

    Para terminar:
    A situação dos animais na mata é DEGRADANTE.

    ResponderEliminar
  5. Na minha rua os passeios é só "merda" de cão. E, o pior é que a minha vizinha vai passear os cães as portas dos vizinhos, espera que eles façam o servizinho e vai se embora... como se nada fosse! vergonhoso

    ResponderEliminar
  6. Realmente concordo com o que foi dito em cima.As pessoas esquecem-se que os animais não são como os "bonecos de peluche" que temos la em casa, que quando tamos fartos deles se arrumam em caixas e se põe no sotão..eles crescem,precisam de vários tipos de cuidados,carinho..enfim,um Mundo de coisas.
    Deixarem os animais na mata sem o minimo de condições, realmente é de pessoas sem caracter e sem sentimentos. Enfim...

    ResponderEliminar
  7. Há muita falta de civismo em Mértloa e a situação da porcaria dos cães e gatos é uma delas.Desde que eu esteja bem, o vizinho que se lixe, nem que esteja a interferir com o seu espaço.

    ResponderEliminar
  8. Acho que ninguém consegue esclarecer a situação do gatil canil.Será um elefante branco?

    ResponderEliminar
  9. Para além da porcaria deixada nas ruas de Mértola pelos animais que deambulam por Mértola eu acho pitoresco os garrafões ás portas.
    A CMM é que tem de tomar uma atitude firme perante estas situações.
    Parece que estamos a viver na idade medieval,com porcaria por todos os lados.No sec.XXI já devia de haver um pouco de espírito cívico de parte dos cidadãos.

    ResponderEliminar
  10. pelo k sei o novo canil ira funcionar em ambos os sentidos. kem kiser la ter os seus animais paga determinadas taxas (n tenho ideia de kt) podendo essas taxas incluir alimentaçao ou o proprio dono responsabilizar se pela alimentaçao do seu animal. vai tb funcionar p recolha de animais vadios...isto é o k sei..
    kt ás barracas k se encontram na mata axo k é ideia da autarquia destrui las assim k haja possibilidade de acolher os animais..mas na minha opiniao isto é mais um assunto de falta de civismo das pessoas e n propriamente de falta de actuação da câmara.

    ResponderEliminar
  11. Jorge Rosa17/10/06, 13:29

    Boa tarde a todos.
    Após ler o artigo da Silvia e como é natural que mais pessoas tenham algumas dúvidas sobre o Canil/Gatil Municipal entendi adequado fazer no blog um artigo a explicar este assunto.
    A construção desta infraestrutura, que era necessária há já algum tempo, visa responder à necessidade de defesa da saúde pública e de cumprir a lei, respondendo também às necessidades de alojamento em condições fidedignas dos animais, quer se trate de situações temporárias ou permanentes. Até aqui a intervenção da Câmara nesta área tem sido menor daquilo que era necessário porque não tinhamos as condições ideais, quer para a captura e recolha, quer depois para o período de tempo que devemos alojar os animais até se lhe encontrar um destino, que passa por lhes encontrar um dono aqui ou então envia-los para o "Cantinho dos Animais", em Beja, com quem temos um protocolo. Em situação extrema, e só no caso de animais que ninguém adopte, demasiado idosos e/ou doentes se opta pela occisão ( término da vida ). O espaço de acolhimento é composto por 2 células destinadas ao isolamento e quarentena de animais agressivos e/ou doentes, e 27 boxes destinadas a alojamento temporário ou permanente. Será temporário em estadias inferiores a 30 dias ( por exemplo durante férias dos donos ), que pagarão 5 €/dia por boxe com alimentação e mais 2 € cada animal a mais até ao máximo de 3/4 por boxe, dependendo do tamanho dos animais. Para mais de 30 dias de estadia considera-se permanente e pagarão os utilizadores 40 €/mês por boxe com alimentação ou 30 € sem alimentação, podendo ter até 3/4 cães por boxe, pagando por cada cão mais 15 € se com alimentação ou mais 10 € se sem alimentação. É nossa intenção, e para isso já fizemos uma listagem de todos os animais em cabanas e barracas em redor da Vila, solicitar aos proprietários que alojem os animais no Canil porque não vamos permitir que essa situação continue a manter-se como tem estado até aqui, sem condições para os animais e representando uma diminuição das condições de vida dos habitantes dessas zonas, devido ao barulho, cheiros e até envolvendo alguma perigosidade no caso de animais doentes. A inauguração será dia 27 deste mês e está em fase terminal o concurso da pessoa que vai ficar a trabalhar no Canil.
    Espero ter ajudado a esclarecer as dúvidas e caso alguém queira ainda colocar alguma questão ou até sugerir alguma coisa estou inteiramente ao dispor.

    ResponderEliminar
  12. Sou um cidadão de Mértola que agradece o esclarecimento desta situção que já se arrasta á tempo demais.

    ResponderEliminar
  13. revisão de custos por favor19/10/06, 14:33

    Senhor Jorge Rosa.

    Penso que a hipótese que é proposta aos munícipes se torna desfasada da realidade.
    Estamos conscientes da actual situação económica do país e torna-se muito complicado a uma família que tem o seu animal de estimação na situação de necessidade de alojamento, poder pagar 40 euros mensais por ter lá o seu animal. Se a esta despesa acrescentarmos os custos que uma família tem todos os meses ao nível da habitação, alimentação, educação, eletricidade, água e afins, como é que uma família poderá suportar mais esta despesa?
    Se fizermos bem as contas, um aumento de 40 euros na gestão de uma família é extremamente lesivo para a sua condição económica e torna-se impraticável.
    Penso que por esta razão esta alternativa não resolve a situação e a solução passaria por uma análise de novos planos de custos.

    Atenciosamente.

    ResponderEliminar
  14. Eu sugiro que depois de eliminado o problema dos animais que estão na mata, este local se destine a um percurso de manutenção,e á colocação de umas mesas e uns bancos para as pessoas aí poderem fazer piqueniques.
    A mata seria um local bem mais aprazivél, do que a situação degradante em que se encontra na actualidade.

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.