Vamos falar de


segunda-feira, 6 de março de 2006

ACEA - associação cultural erica andevalensis

Está legalmente constituída, desde 16/2/2006, a Associação Cultural Erica andevalensis (ACEA). Trata-se de uma associação sem fins lucrativos, de natureza altruísta e destinada a promover o património cultural e natural da Mina de S. Domingos.

O núcleo fundador é formado por 22 pessoas, residentes e não residentes na Mina de S. Domingos, mas o objectivo é envolver todos os “Mineiros” de naturalidade ou afinidade (familiar ou afectiva) neste projecto cultural.

O primeiro contacto com a população está agendado para o Festival do Peixe do Rio (18 e 19 de Março), no Pomarão. Neste certame, a ACEA pretende, através de um espaço cedido pela Câmara Municipal de Mértola, dar a conhecer o seu projecto associativo e angariar mais associados. Paralelamente, e tirado partido do espaço, organiza uma exposição de pintura de artistas que pintaram inspirados na Mina de S. Domingos, nomeadamente, Gabriel Gutierrez e Aisar Jalil, de Cuba, e Eugénio Saranga, de Moçambique.

A direcção da ACEA é formada por:

Presidente – Ana Filipa Branco Gonçalves
Vice-Presidente – José Daniel Janeiro Romana
Vice – Presidente – Paulo Miguel Braz Marta da Conceição
Tesoureiro – Carla Alexandra Branco Gonçalves
Secretário – Luís António Coutinho Barradas
1º Vogal – Miguel Ângelo Guerreiro Soeiro
2º Vogal – Pedro Mariano Martins Horta

acea.info@gmail.com

A ACEA convida todos a visitar o seu espaço, mesmo aqueles que, não gostando da Mina gostam de pintura. Estaremos à vossa espera.

Saudações

JDR

35 comentários:

  1. Em primeiro lugar, meu caro amigo, o logo está simplesmente divino! Adorei!!! Parabéns!
    Gostaria muito de ter a honra de ser vossa associada, dado que tenho origens nessas terras de minério...
    Espero conseguir dizer o nome desta recém-nascida associação... é que não é fácil, têm de admitir!

    Muitos Parabéns, a todos vocês, por esta iniciativa! Continuem!

    ResponderEliminar
  2. Só posso estar do vosso lado quando criam uma associação deste tipo, estou pouco a par deste projecto, mas seja o que for, tudo para bem da Mina. Importante é que pessoas se juntem e se organizem para o desenvolvimento desta terra. A contar pelas pessoas que compõem os orgãos directivos, que conheço pessoalmente, têm da minha parte todo o crédito para levar avante esta excelente iniciativa.

    Já agora, parabéns pelo excelente logotipo.

    ResponderEliminar
  3. Os fundadores têm conhecimento que já existe na Puebla de Guzmán uma associação com o mesmo nome?

    ResponderEliminar
  4. alguém pode explicar o porquê do nome. parece que toda a gente sabe o que é menos eu

    ResponderEliminar
  5. @minavai
    erica andevalensis é uma planta que cresce nas zonas mineiras.
    @Zé Daniel
    Concordo que o Logo é muito bonito e felicidades para a associação.

    ResponderEliminar
  6. @minavai
    Erica Andevalensis é o nome de uma planta que existe exclusivamente em zonas de afloramentos mineiros da faixa piritosa ibérica, como é o caso da mina de S. Domingos. É uma planta resistente que se desenvolve onde nenhuma outra consegue subsistir. O nome desta associação é uma homenagem e ao mesmo tempo um estimo há vontade de fazer algo de bom pela nossa terra.
    @Anonymous
    Soubemos da existência dessa associação na altura do registo e pessoalmente vejo com bons olhos a existência de um associação no país irmão com o mesmo nome e os mesmos fins, facilita a identificação por parte das pessoas e cria laços de amizade.

    ResponderEliminar
  7. @jdr
    prometes não ter uma reacção de nariz arrebitado se eu "entrar contigo" por causa do post?

    ResponderEliminar
  8. Parabéns pela iniciativa. Tudo o que é associativismo é positivo e neste Concelho mais ainda.

    ResponderEliminar
  9. @lena
    Hehehehe... e eu é que sou a bota de elástico??? Hehehehe!

    ResponderEliminar
  10. @anlsd
    coisinha linda, onde tens andado?

    ResponderEliminar
  11. E mais nada! Erica andevalensis não é assim tão difícil de dizer. De qualquer modo, sempre podem dizer ACEA ( Associação Cultural Erica andevalensis). E estaremos pela 1ª vez presentes no Festival do Peixe do Rio. A barraca é pequena mas é grande a vontade. (aceitamos sócios!!).

    ResponderEliminar
  12. Ai filho com um nick desses quem é que te pega. Até dás vómitos. :)

    ResponderEliminar
  13. @lena
    Oh, Meu Deus... Saudadinhas minhas?! Que querida :)

    ResponderEliminar
  14. papo de pisco08/03/06, 23:29

    Parabéns a mais uma associação no concelho de Mértola e mais a mais sendo na Mina onde é preciso criar tanto espírito de participação na vida da comunidade
    Escolheram muito bem o nome porque de facto esta planta pode representar a capacidade de resistência à adversidade e o renascer na Mina de uma nova mentalidade, maia positiva e construtiva

    ResponderEliminar
  15. Mais construtiva??? O sr. papo não estava no Alsafir na sexta feira passada não??

    ResponderEliminar
  16. Não estava no Alsafir, já agora o que é o Alsafir?09/03/06, 15:51

    Eu tanbém não estava no Alsafir será que podem dizer o que se passou?

    ResponderEliminar
  17. Essa conversa do Alsafir até dava um post

    ResponderEliminar
  18. Não estava no Alsafir, já agora o que é o Alsafir?09/03/06, 16:14

    @noites
    Continuamos sem saber o que se passou

    ResponderEliminar
  19. @não estava...
    É segredo, a noite tem muitos segredos!
    Como diria um comentador noutro post: "é isso e andar à noite nos montes"

    ResponderEliminar
  20. Omeus amigos este espaço não é para dizer mal do pessoal da Mina, nem todos são como voces pensam.Ee esta associação ainda vai dar muito que falar, pois foi por isso que este grupo do qual eu faço parte se junto para constituir esta associação, para poder desenvolver patrimonialmente e culturalmente a mina...

    E já agora em vez de falarem tanto mal da Mina é melhor que contribuam em vez de falar mal

    ResponderEliminar
  21. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  22. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  23. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  24. mais 3 varridos por linguagem imprópria.

    ResponderEliminar
  25. Apoio totalmente a iniciativa que desde à muito considero necessária e inevitével se se quer tratar o tema da Mina de S. Domingos fora dos "aparelhos" que a tornam cada vez mais "exclusiva" de alguns privilegiados para não dizer "boys".

    Julgo não conhecer pessoalmente os fundadores mas admito conhecer alguns de vista. Sendo as motivações e os propósitos genuinamente cívicos e em prol do enriquecimento cultural dos "amigos" da Mina e desse património impar do concelho e da nossa história recente, estou disponivel para dar o meu modesto contributo e associar-me à causa da defesa, dignificação e valorização da aldeia mineira e do seu legado histórico e cultural que bem conheço e tenho estudado.

    Acredito na mobilização e participação espontanea e por afinidades às várias temáticas. Os de fora nutrem grande admiração e curiosidade pela Mina de S. Domingos e Pomarão e isso deve motivar a sua inclusão. Novas visões representam muitas vezes novos desafios e novas soluções para problemas que os de dentro julgam de dificil solução.

    Temas como o ambiente, o lazer e o património natural e cultural (paisagístico, edificado, geomineiro, etnografico, etc.)são de enorme interesse para o desenvolvimento do local, pois constituem alavancas para o desenvolvimento económico e social em termos de enquadramento, viabilidade, atractividade turistica e coesão social e territorial.

    Força com esse projecto e mostrem a muita gente que a Mina merece mais do que servirem-se dela apenas para alcançar mediatismo e dividendos politicos e pessoais.

    Um abraço mineiro.

    ResponderEliminar
  26. O gueto já tem uma associação cultural. Estou espantado.

    ResponderEliminar
  27. Tchiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii....
    Nunca me tinha ocorrido melhor palavra para descrever a tão estimada Mina de S. Domingos!
    Um verdadeiro Gueto que agora tem como simbolo uma florinha cor de rosinha :-)))))))))))))

    ResponderEliminar
  28. @anonimo
    Estou espantado. Essa frase paga direitos de autor. E tou espantado como é ainda não te arranjaram um gueto para ti.
    @raccer
    Não queres fundar um gueto com o anónimo de cima? Vocês devem dar-se bem.

    ResponderEliminar
  29. Já aí vem um membro do gang defender o gueto.

    ResponderEliminar
  30. Eu por acaso até sei o que se passou naquela sexta à noita no Alsafir!

    ResponderEliminar
  31. O verdadeiro gang ja tem presidente e já saiu no diario da república.Essa noite foi só uma pequena demonstração do que pode vir a acontecer para kem diz mal da ACEA.

    ResponderEliminar
  32. EPÁ! Tou-me a borrar de mdo dos florinhas...

    ResponderEliminar
  33. Já chega de criar adversidades entre o pessoal da Mina e a sociedade no geral. Não, não sou "mineiro" e não aprovo muitas das atitutes que algumas pessoas têm, mas já chega de "martelar" sempre nos mesmos.

    ResponderEliminar
  34. Gostava de saber qual a relação entre o anúncio de uma associação cultural que visa defender todo o património de uma Terra com tanta história, como é a Mina de São Domingos e os comentários que aqui vejo escritos de gente que não deve ter mais nada para fazer senão criticar e tentar esclarecer rivalidades através deste espaço. Penso que A associação é um passo de gigante para que o património desta terra alentejana seja o mais respeitado possível. E as garreias de bailes não devem ser aqui abordadas. Só desejo boa sorte para a ACEA.

    ResponderEliminar
  35. Cultura, inovação, dinamismo, abertura, ocupação para as pessoas é bem preciso para dar a volta aos seres que se preocupam de mais e fazem de menos. Espero que a ACEA possa realmente trazer algo de novo e enriquecer este concelho, que está saturado de pobreza cultural. Alimentem os nossos cérebros!
    Sigam!Boa sorte!

    ResponderEliminar

Voltamos a ter comentários abertos, mas moderados. Agradecemos educação e cuidado com a linguagem.